ESTADOS UNIDOS

Trump confronta juiz, que cobra advogados: "Controle o seu cliente"

O ex-presidente interrompeu o magistrado durante uma audiência em Nova York. Caso seja condenado, Trump poderá sofrer perdas patrimoniais significativas e ser impedido de fazer negócios em Nova York

O ex-presidente já atacou outras vezes o magistrado e o chamou de
O ex-presidente já atacou outras vezes o magistrado e o chamou de "desequilibrado" e de "agente democrata, da esquerda radical, que odeia Trump" - (crédito: Timothy A.Clary/AFP)
postado em 12/01/2024 09:36 / atualizado em 12/01/2024 09:37

O ex-presidente norte americano Donald Trump confrontou o juiz Arthur Engoron, responsável pelo caso no qual o magnata é acusado de inflacionar o valor de seus ativos imobiliários, durante uma audiência em um tribunal de Nova York. “Estou sendo perseguido por alguém que está concorrendo a um cargo público”, disse Trump ao interromper o magistrado. Em resposta, o juiz falou com o advogado do réu: “Controle seu cliente”.

Trump se referia à procuradora-geral de Nova York, Letitia James, a quem acusa de ter movido a ação contra ele somente para se promover politicamente. “Isso é uma fraude contra mim. O que aconteceu aqui, senhor, é uma fraude contra mim”, disse Trump. “Sei que isso (o processo) é entediante para você”, afirmou ele.

A equipe de defesa de Trump pediu para que ele apresentasse as alegações finais do processo, mas acabou negado depois que os advogados perderam o prazo para chegar a um acordo. As condições, segundo o juiz, eram para evitar que o ex-presidente usasse o tribunal para fazer discursos políticos ou atacar envolvidos no caso.

Antes da audiência

De acordo com a polícia de Nova York, pouco antes da audiência, o juiz Engoron sofreu uma ameaça de bomba. Os oficiais foram à casa do juiz e investigaram o local, mas nada foi encontrado. As autoridades acreditam que a denúncia tratava-se de um trote.

Engoron vem sendo alvo de críticas e ataques virtuais por parte do próprio Trump e de seus apoiadores. Pelas redes sociais, Trump acusou o magistrado de colaborar com a procuradora-geral de NY para prejudicá-lo.

O ex-presidente já atacou outras vezes o magistrado e o chamou de "desequilibrado" e de "agente democrata, da esquerda radical, que odeia Trump".

Caso seja condenado, Trump poderá sofrer perdas patrimoniais significativas e ser impedido de fazer negócios em Nova York. Entretanto, por ser um processo civil e, não, criminal, não corre o risco de ser preso.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
-->