SAÚDE

'Não é saudável': a fisiculturista que sofreu com menopausa precoce

Escocesa relata o sofrimento que passou com menopausa precoce, que ela suspeita que foi causada por sua prática de fisiculturismo

Adele foi campeã escocesa de fisiculturismo -  (crédito: ADELE JOHNSTON)
Adele foi campeã escocesa de fisiculturismo - (crédito: ADELE JOHNSTON)
BBC
Angie Brown - Da BBC Scotland
postado em 09/02/2024 16:44 / atualizado em 09/02/2024 22:37

Quando Adele Johnston era fisiculturista, ela fazia dietas cansativas e regimes de condicionamento físico que a deixavam com fome e exausta o tempo todo.

O cabelo da bicampeã escocesa de fisiculturismo começou a cair, ela tinha sangramento nas gengivas, palpitações cardíacas, coceira na pele e genitais dolorosamente inchados.

Após anos de exames dolorosos, ela descobriu que estes eram sintomas da perimenopausa precoce – a fase anterior à interrupção da menstruação da mulher.

Em média, isso começa quando as mulheres têm 46 anos. Adele, mãe de dois filhos, tinha 30 e poucos anos.

"Durante anos e anos eu estava forçando meu corpo além dos limites físicos e mentais. O fisiculturismo é um esporte radical e não é saudável", disse ela à BBC Scotland News.

"Dava para ver minhas costelas e minha estrutura óssea, eu estava fraca por falta de comida. A aparência do meu corpo não era bonita e saudável e fui contra minha inteligência e conhecimento para me submeter a aquelas dietas exaustivas."

"Eu estava sempre com fome e nunca me sentia saciada."

'Estagnação do ciclo menstrual'

Com 1,7 m, Adele pesava apenas 53 kg na época. "Comecei a questionar por que entrei na perimenopausa precoce e perguntei a muitos médicos se era devido ao meu fisiculturismo e eles disseram: 'É possível, mas não temos pesquisas'", disse ela.

Heather Currie, ginecologista especialista do hospital NHS Dumfries and Galloway, especulou que o fisiculturismo extremo poderia ter causado a "estagnação" do ciclo menstrual de Adele.

"Qualquer coisa extrema pode ter outros efeitos, e o que costumo recomendar é fazer tudo com moderação", disse ela. "Qualquer excesso não será bom."

Currie, que assessora o governo escocês sobre a menopausa e a saúde da mulher, indicou que os seus ovários poderiam "voltar ao normal" assim que Adele parasse de praticar musculação.

"O fisiculturismo pode ter influenciado isso, mas nunca saberemos."

Adele agora desistiu do fisiculturismo — mas ela também começou a fazer terapia de reposição hormonal com um DIU Mirena, que interrompe completamente sua menstruação, para aliviar os sintomas da perimenopausa.

A escocesa de 40 anos finalmente está se sentindo melhor e não está preparada para interromper a medicação para verificar se o ciclo se recuperou.

"Eu sofri com sintomas horríveis da perimenopausa", disse ela. "Tive palpitações cardíacas e pensei que estava tendo um ataque cardíaco, não conseguia dormir à noite e estava exausta, suava frio e sentia coceira por todo o corpo."

"Eu tinha tantas dores na vulva que tive que ficar de pé na minha mesa no trabalho. Tive inchaço abdominal e sangramento nas gengivas e estava perdendo cabelo."

"Como tenho o DIU e meus hormônios estão estáveis, não estou disposta a removê-lo para verificar se continuou sangrando."

A menopausa é quando a menstruação da mulher cessa, o que normalmente acontece por volta dos 51 anos.

O período que antecede isso, quando a menstruação se torna irregular, é conhecido como perimenopausa e começa, em média, aos 46.

É quando muitas mulheres percebem que suas menstruações estão se tornando imprevisíveis ou intensas e têm sentimentos ou problemas físicos que nunca foram experimentados antes.

Quando a menstruação não ocorre há 12 meses, a mulher atingiu a menopausa.

Vicky McCann, presidente da Federação Britânica de Fisiculturismo Natural, disse que qualquer ligação potencial entre o fisiculturismo e a perimenopausa precoce é uma "assunto muito interessante".

Uma competidora de 54 anos disse: "Já competi há 30 anos e só tive sinais de menopausa nos últimos três anos".

"Até então não tive problemas e fiz dieta e treinei durante toda a minha vida. Posso pensar em cerca de três outras pessoas da minha idade que também não tiveram problemas."

"No entanto, o fato é que as pessoas são diferentes cada uma, e esse é um assunto interessante."

Jessica Watson, cofundadora da organização de educação sobre a menopausa, Gloriah, disse que encontrou muitas histórias como a de Adele.

"Há uma necessidade urgente de maior reconhecimento e investigação sobre as causas da menopausa precoce – que está no centro daquilo que estamos fazendo campanha."

'Eu mal conseguia funcionar'

Adele agora é treinadora de menopausa depois de renunciar ao cargo de gerente de resiliência operacional em um banco de investimento.

"Meus sintomas debilitantes eventualmente me forçaram a deixar meu emprego", disse ela.

"A empresa para a qual trabalhei não conseguiu me apoiar nas minhas necessidades quando eu estava passando pela perimenopausa."

"Eu pedi seis semanas de redução de horas enquanto me adaptava à terapia de reposição hormonal e eles recusaram a pagar."

"Eu estava tão mal que mal conseguia funcionar. Então meu marido Sean disse para ir embora e resolveríamos isso."

Adele disse que estava nervosa ao deixar o emprego.

"Foi assustador dizer adeus ao meu salário, pensão, benefícios e plano de carreira, mas vi isso como uma oportunidade de me reciclar como treinadora da menopausa, usando o que passei para ajudar outras pessoas."

Ela acrescentou: "O fisiculturismo é um esporte atraente e glamoroso, mas nos bastidores temos que estar atentos às implicações para a saúde".

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br