PANDEMIA

Artigo: "Se conhece alguém que não quer se vacinar, tente demovê-lo da ideia"

"Um dos fatores cruciais para o sucesso da campanha de vacinação é a adesão da população"

Roberto Fonseca
postado em 13/08/2021 06:00
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A. Press)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A. Press)

A vacinação contra a covid-19, finalmente, avança com rapidez no Distrito Federal. Desde que teve início a campanha, lá em 1º de fevereiro com o grupo de idosos de 80 ou mais anos, nunca se baixou tanto a idade para imunização quanto no último mês. Ontem, começou a turma de 20 anos e, na semana que vem, chegará a vez da galera de 18 e 19, mas ainda há um problema: tem muita gente ficando para trás.

Cito, como exemplo, a faixa etária de 40 a 44 anos: mais de 31% não tomaram a primeira dose ainda, segundo o mais recente balanço divulgado pela Secretaria de Saúde. São 80 mil pessoas que não procuraram os postos de vacinação até agora. Entre 35 e 39, o percentual é ainda maior, quase 40% sem imunização. De 30 a 34 anos, metade. Podemos enumerar várias razões que ajudam a explicar o fenômeno, como fila nos postos, desconfiança sobre efetividade da vacina e falsas crenças sobre a covid-19, entre outros.

E é justamente esse o ponto que merece atenção especial das autoridades e da sociedade. Um dos fatores cruciais para o sucesso da campanha de vacinação é a adesão da população. Não tem como ser efetiva se poucas pessoas aderirem. Comparando com três, quatro meses atrás, o número de casos e mortes por covid-19 é bem menor. Passa-se, no entanto, a sensação de que a pandemia está controlada. É um erro. Os índices são iguais ou mais altos do que os registrados nos piores momentos do ano passado.

Por isso, é fundamental o trabalho de convencimento para que a pessoa vá se vacinar. Imunização é um ato coletivo. Então, além do governo, temos a missão de espalhar a boa informação. Se um amigo, familiar ou colega afirmar que não vai tomar a dose porque já teve covid-19, tente demovê-lo da ideia. Pesquisas realizadas por universidades renomadas mostram que a vacina diminui consideravelmente a chance de desenvolver formas graves ou mortais da doença. É fato, não achismo. Mesmo com o temor da variante Delta, há o sentimento de que vamos sair desta pandemia em breve. Mas, para isso, precisa ser uma ação de todos nós. Pode ter certeza!

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE