Tocantins

Outdoor do pequi roído, contra Bolsonaro, chega à PF e à Justiça, em Palmas

Empresário e pré-candidato bolsonarista, homem alegou que frase "Bolsonaro não vale um pequi roído" não representa moradores e registrou notícia-crime contra grupo

Philipe Santos
postado em 19/08/2020 11:50 / atualizado em 19/08/2020 11:50
 (foto: Reprodução/Twitter)
(foto: Reprodução/Twitter)

O empresário e produtor rural Celso Montoia Nogueira, 49 anos, entrou, nessa terça-feira (18/8), com uma ação civil pública no Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO) e protocolou uma notícia-crime na Polícia Federal pedindo a retirada dos outdoors, em Palmas, que diz que o presidente Jair Bolsonaro “não vale um pequi roído” e pede impeachment dele.

Morador da cidade de Novo Acordo (TO), o homem alega na ação que a Constituição garante a livre manifestação de pensamento, mas veda o anonimato. Segundo o documento, as expressões vinculam ao “povo de Palmas e do Estado do Tocantins, como se a opinião versada correspondesse ao pensamento de todos que aqui residem, o que não é uma verdade.”

“O requerente, na condição de cidadão palmense, sente-se ultrajado pela publicação em questão, máxime pelo fato público e notório de que inexiste processo de impeachment em aberto contra o atual Presidente da República”, prossegue na alegação.

Ainda segundo o pedido, Bolsonaro é exposto ao ridículo e é difamado nos outdoors. “A expressão popular “não vale um pequi roído” é bastante utilizada pelo povo tocantinense e significa pessoa sem vergonha, que não vale nada, alguém que não presta”.

Ele também alega que o pensamento dos autores não é o mesmo dos moradores do estado e que, por isso, eles não podem falar em nome da região. Junto com a petição, há um abaixo-assinado com 123 assinaturas de moradores de Palmas contrários aos outdoors.

Lei de segurança nacional

No mesmo dia, o empresário registrou uma notícia-crime e pede o acionamento da lei de segurança nacional — que prevê reclusão de 1 a 4 anos para quem difamar o presidente da República — contra o autor do outdoor e a empresa que fabricou a peça utilizando os mesmos argumentos da ação judicial.

Segundo o Jornal do Tocantins, o autor das ações é pré-candidato a vereador pelo PRTB, partido ao qual se filiou em abril desse ano, após deixar o PSL, antigo partido de Bolsonaro.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação