Rio de Janeiro

Alerj define membros de tribunal misto para julgar situação de Witzel

Cinco deputados federais escolhidos nesta terça-feira (29) e outros cinco desembargadores já selecionados por sorteio irão compor comissão que analisa destino do governador afastado

Sarah Teófilo
postado em 29/09/2020 16:48 / atualizado em 29/09/2020 20:25
 (crédito: Mauro Pimentel/AFP)
(crédito: Mauro Pimentel/AFP)

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) acaba de escolher quatro dos cinco deputados que irão integrar o tribunal misto que irá analisar o processo de impeachment do governador Wilson Witzel (STJ). Ele está afastado desde o dia 28 de agosto, por determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ), no âmbito de uma investigação do Ministério Público Federal (MPF).

A escolha se deu por meio de votação, e os deputados mais votados foram: Chico Machado (PSD), Alexandre Freitas (Novo), Waldeck Carneiro (PT) e Dani Monteiro (PSOL). Os parlamentares Anderson Moraes (PSL) e Carlos Macedo (Republicanos) tiveram empate, com 34 votos cada. O critério de desempate foi por idade e o mais velho, Carlos Macedo, foi o selecionado. 

Os deputados interessados colocaram seus nomes à disposição para serem votados, e cada deputado poderia votar em cinco nomes.

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) escolheu os cinco integrantes que farão parte do grupo na última segunda (28). Comissão será presidida pelo presidente do TJ, Cláudio de Mello Tavares, que já marcou uma reunião para sexta-feira (2/10).

Depois da formação desta comissão, o governador é afastado por 180 dias e o rito passa a ser comandado pelo Judiciário. Como Witzel já está afastado no STJ, nada muda na prática.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação