Diplomacia

Bolsonaro a países árabes: reformas melhoram ambiente de negócios

Na abertura de fórum econômico, presidente ressaltou os laços comerciais entre o Brasil e o Oriente Médio. Também acenou à comunidade árabe e descendentes que vivem no país. Lembrou a ajuda humanitária enviada ao Líbano em agosto

Ingrid Soares
postado em 19/10/2020 12:27
 (crédito: ED ALVES/CB/D.A.Press)
(crédito: ED ALVES/CB/D.A.Press)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, na manhã desta segunda-feira (19/10), durante abertura do Fórum Econômico Brasil & Países Árabes, que as reformas administrativa e tributária trazem um ambiente seguro aos investidores estrangeiros, embora o governo ainda necessite aprová-las.

No ano passado, o chefe do Executivo esteve em visita aos Emirados Árabes Unidos, Catar e Arábia Saudita.

"Já tomamos várias medidas que permitirão a retomada do crescimento econômico sustentável do Brasil no pós-pandemia. As reformas estruturais que estamos promovendo no Brasil garantem um ambiente de negócios atrativo e seguro, um cenário sem precedentes aos investidores estrangeiros", destacou.

Bolsonaro lembrou ainda os investimentos realizados no Brasil e comentou sobre empresas brasileiras que atuam nos Países Árabes. Segundo ele, cerca de 30 empresas brasileiras possuem escritórios e unidades de produção no Oriente Médio.

"Países como Emirados Árabes Unidos, Catar e Kuwait, já apresentam expressivos investimentos no Brasil. Essas inversões, tomadas individualmente, variam de US$ 4 bilhões a US$ 5 bilhões. E tenho certeza de que vamos multiplicar esses números", apontou.

Entre janeiro e agosto de 2020, disse o presidente, as exportações totalizaram US$ 4,6 bilhões. Bolsonaro ressaltou também a produção brasileira halal, que leva em conta os costumes árabes.

"Hoje, a produção brasileira halal, que respeita tradições e regras da religião islâmica, é sinônimo de qualidade e confiança. Por isso, os países árabes podem contar com o Brasil como parceiro estratégico na garantia de sua segurança alimentar", completou, enumerando relações econômicas também com a África, Egito, Marrocos e Argélia.

Por fim, Bolsonaro acenou à comunidade árabe e descendentes que vivem no país e lembrou a ajuda humanitária enviada ao Líbano em agosto. Na data, o ex-presidente Michel Temer foi escolhido para chefiar a missão após uma explosão em Beirute, que vitimou fatalmente mais de 160 pessoas e deixou outras mais de 6.000 feridas.

"É com orgulho que ressalto a importância da grande comunidade de descendentes árabes que escolheram o Brasil para viver. Sua contribuição foi fundamental para o desenvolvimento econômico e cultural brasileiro. Em respeito e apreço a esses laços, nosso governo ofereceu prontamente, e continua a oferecer, apoio aos irmãos libaneses no processo de reconstrução de seu país. Enviamos missão humanitária ao Líbano com alimentos, medicamentos e insumos médico-hospitalares doados pelo Governo e pela comunidade brasileira de origem libanesa".

"Além das doações, a missão levou mensagem política no mais alto nível, liderada pelo ex-Presidente Michel Temer. Essa é mais uma evidência do nosso firme compromisso com todo o mundo árabe", concluiu, acrescentando que o governo "está sempre disposto a trabalhar para estreitar ainda mais as relações do Brasil com o mundo árabe".


 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação