PANDEMIA

"Ofereceu cloroquina até às emas", diz Doria sobre Bolsonaro cobrar eficácia de vacina

Governador de São Paulo falou ao Correio sobre a polêmica a respeito da compra da vacina chinesa pelo governo federal

Correio Braziliense
postado em 21/10/2020 17:00 / atualizado em 21/10/2020 20:35
 (crédito: Reprodução)
(crédito: Reprodução)

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse em entrevista ao Correio (assista abaixo), nesta quarta-feira (21/10), que a decisão do presidente Jair Bolsonaro de suspender a intenção de compra por parte do Ministério da Sáude de doses da vacina chinesa contra a covid-19 foi "uma atitude equivocadíssima".

Para Doria, Bolsonaro agiu com intenções políticas e que "vacina não pode ser objeto de nenhuma discussão política". O governador também disse que Bolsonaro mente ao dizer que a vacina, produzida em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo, não tem comprovação científica.

"Não é verdade. Se não (fosse eficaz) não estaríamos da terceira fase de testes", disse, acrescentando que a fórmula é classificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma das oito mais promissoras.

Doria criticou ainda a postura de Bolsonaro por não ter exigido comprovação científica ao recomendar a hidroxicloroquina. "Ofereceu (o remédio) até à ema do Alvorada. E nem a ema quis", cutucou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação