Eleições municipais

Covas e Boulos disputarão segundo turno em São Paulo

Com 99% das seções totalizadas na capital paulista, tucano Bruno Covas e Guilherme Boulos confirmam vaga no segundo turno

Rosana Hessel
postado em 15/11/2020 22:49 / atualizado em 16/11/2020 01:40
 (crédito: Reprodução/Twitter)
(crédito: Reprodução/Twitter)

Os dados da apuração das eleições em São Paulo mostram que haverá segundo turno na maior cidade do país. O atual prefeito, Bruno Covas (PSDB), aparece na liderança com 32,86% dos votos. Guilherme Boulos (PSOL), que compôs chapa com a ex-prefeita Luiza Erundina, ficou em segundo lugar com 20,24% da preferência, e, Márcio França (PSB), em terceiro, com 13,64%. 

Na sequência, o candidato Celso Russomanno (Republicanos), com 10,50%, seguido por Arthur Do Val (Patriotas), com 9,78%, e por Jilmar Tatto (PT), com 8,65%. 

Foram apurados 99,92% dos votos no último boletim divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na primeira prévia, das 17h32 deste domingo (15/11), Covas tinha 32,58%, Boulos, 20,33% e França, 13,95%. Apenas 0,39% tinham sido computados em 88 seções de 22.399 devido a "problemas técnicos" e os dados levaram pouco mais cinco horas para serem atualizados novamente. 

A derrota de Russomanno em São Paulo comprova que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não foi eficiente como cabo eleitoral, pois o deputado tentou, durante a campanha, associar sua imagem à do chefe do Executivo, mostrando uma guinada do eleitorado paulistano, tradicionalmente conservador, mas que  escolheu um candidato de esquerda para o segundo turno para disputar com o atual prefeito.

Os candidatos a vereadores Eduardo Suplicy (PT) e Milton Leite (DEM) foram os mais votados. Na sequência, Delegado Palumbo (MDB), Felipe Becari (PSD) e Fernando Holiday (Patriota). O nono vereador mais votado foi Thammy Miranda (PL). A maior casa legislativa municipal do país é composta por 55 vereadores, número estabelecido pela Constituição de 1988. 

A votação teve início às 7h e foi concluída às 17h. Diante da demora do TSE em apurar os votos, os memes pipocaram nas redes sociais. Entre as postagens cômicas atribuídas, Bolsonaro e Russomanno eram comparados ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que escreveu em letras garrafais "Parem a contagem (Stop the count)", quando o democrata Joe Biden virou e tomou a liderança no estado da Pensilvânia. Apesar de Biden ter a vitória reconhecida pelos meios de imprensa e pela maioria dos líderes globais desde o último fim de semana, até agora, Trump não reconheceu a derrota.

Boca de urna

Na pesquisa de boca de urna do Ibope, o prefeito Bruno Covas, liderava as intenções de voto, com 33%, enquanto Guilherme Boulos tinha 25% da preferência. 

Em terceiro lugar ficou Márcio França, com 13%. Celso Russomanno, que costuma largar bem nas pesquisas inicias, mas perde força na apuração de fato, registrou apenas 8% das intenções de voto, ficando em quarto lugar, empatado com Arthur do Val e com Jilmar Tatto. 

A margem de erro é de dois pontos percentuais para baixo ou para cima.

Ocorrências

O boletim do TSE, das 17h30, apontou 51.977 urnas tiveram problemas de contingência e 3.381 foram substituídas.

O relatório contabilizou 704 ocorrências registradas, com 55 candidatos presos e outros 37 flagrados em algum tipo de conduta irregular.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE