ELEIÇÕES

Congressistas têm pior desempenho nas eleições municipais desde 1992

Levantamento do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) aponta que, de 69 deputados e senadores candidatos, apenas quatro se elegeram no primeiro turno

Sarah Teófilo
postado em 17/11/2020 14:15
 (crédito: Roque Sá/Agência Senado)
(crédito: Roque Sá/Agência Senado)

Parlamentares do Congresso Nacional tiveram redução histórica de êxito nas eleições municipais de 2020, observando dados desde 1992 levantados pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). De 69 candidatos, sendo 67 deputados e dois senadores, apenas quatro deputados conseguiram se eleger no primeiro turno.

Há, ainda, 15 parlamentares na disputa pelo segundo turno, mas mesmo que todos consigam se eleger, a quantidade de vitoriosos poderá, no máximo, se igualar ao total de 2008, quando 18 obtiveram êxito entre 89 na disputa. Isso se dá pelo fato de que, em Recife (PE), dois parlamentares estão no segundo turno pela cadeira de prefeito — João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT).

Também na disputa está o senador Vanderlan Cardoso (PSD), candidato em Goiânia (GO), que disputa a prefeitura contra Maguito Vilela (MDB), internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de São Paulo com covid-19 há mais de 20 dias. Além de Vanderlan, outro parlamentar federal candidato era o deputado Elias Vaz (PSB).

Números

Conforme levantamento, em 2016, último pleito municipal, 83 parlamentares disputaram prefeituras, e apenas 20 tiveram êxito. Em 2012, de 92 na disputa, 25 se elegeram. Confira outros números:

2004: 93 candidatos e 20 eleitos;
2000: 98 candidatos e 26 eleitos;
1996: 121 candidatos e 41 eleitos;
1992: 88 candidatos e 26 eleitos;

Foram alvo de disputa dos congressistas que não obtiveram sucesso as capitais Manaus (AM), Salvador (BA), Fortaleza (CE), Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS), Belém (PA), João Pessoa (PB), Teresina (PI), Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ), Natal (RN), Boa Vista (RR), Porto Alegre (RS), São Paulo (SP) e Palmas (TO).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE