GIGANTE

Com vídeo, Bolsonaro sugere que críticas à sua política ambiental são injustas

O presidente postou nas redes sociais um vídeo no qual um gigante evita a destruição de uma cidade, mas mesmo assim é alvo de ataques. Diante da ingratidão, o gigante acaba por deixar a cidade ser destruída

Ingrid Soares
postado em 22/11/2020 12:50 / atualizado em 22/11/2020 12:56
 (crédito: Reprodução)
(crédito: Reprodução)

Antes de seu discurso no segundo dia de reunião do G20, grupo formado pelas maiores economias mundiais, neste domingo (22/11), o presidente Jair Bolsonaro postou nas redes sociais um vídeo por meio do qual deu a entender que se sente injustiçado. 

O vídeo, trecho da animação Inércia (2014), é muito utilizado como meme na internet, e mostra um gigante de pedra que faz de tudo para evitar a destruição de uma cidade por uma rocha gigante que desce uma montanha.

O gigante, por fim, consegue evitar que a rocha esmague a localidade, mas acaba derrubando uma das construções com o calcanhar. Os moradores da cidade, então, passam a atacá-lo com pedras e outros objetos. Indignado, o gigante acaba por soltar a pedra, que esmaga a cidade (assista abaixo). 

Mensagem aos líderes mundiais?

O presidente não foi explícito sobre o que queria dizer com a postagem. Apenas fez referência ao G20. "BOM DIA A TODOS. Estou agora em reunião com o G-20", escreveu na publicação. Pouco depois, ele apresentou um discurso pré-gravado no qual garante preservar o meio ambiente e afirma que o Brasil é um dos países que mais protegem seus biomas.

O vídeo poderia ser interpretado tanto como uma resposta às críticas que Bolsonaro vem recebendo por sua política ambiental quanto uma lembrança da importância do Brasil para o equilíbrio ecológico do planeta. Em seu discurso neste domingo, vale ressaltar, o presidente citou o trecho do Hino Nacional que descreve o país como um "gigante pela própria natureza".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE