GUERRA DAS VACINAS

Bolsonaro sobre CoronaVac: "Se jogar uma moedinha para cima é 50% de eficácia"

Presidente também voltou a defender o tratamento precoce contra a covid-19, com o uso de vermífugos como ivermectina, hidroxicloroquina e Annita, que não possuem eficácia comprovada contra o novo coronavírus

Ingrid Soares
postado em 18/01/2021 14:53 / atualizado em 18/01/2021 15:52
 (crédito: Marcelo Camargo/Agencia Brsil)
(crédito: Marcelo Camargo/Agencia Brsil)

Mesmo após a aprovação emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o presidente Jair Bolsonaro voltou a colocar em dúvida a eficácia da CoronaVac nesta segunda-feira (18/1). A apoiadores, na saída do Palácio da Alvorada, o chefe do Executivo disse que "se jogar uma moedinha para cima é 50% de eficácia", e que a vacina "é para quem não pegou covid-19 ainda". No domingo (17), o órgão regulador também aprovou o uso de vacina de Oxford.

Mais cedo, um canal de direita postou o encontro do presidente com bolsonaristas. No entanto, a conversa havia sido editada, sem a parte na qual ele repete críticas à vacina do Butantã. O presidente também voltou a defender o tratamento precoce contra a covid-19 com o uso de vermífugos como ivermectina, hidroxicloroquina e Annita. Tais medicamentos, no entanto, não possuem eficácia comprovada contra o novo coronavírus. O vídeo contendo as frases completas do presidente foram postadas pelo filho Carlos Bolsonaro em um grupo do Telegram.

"Apesar da vacina... Apesar, não. A Anvisa aprovou, não tem o que discutir mais. Agora, havendo disponibilidade no mercado, a gente vai comprar e vai atrás de contratos que fizemos também, que era para ter chegado a vacina aqui. Não desistam do tratamento precoce. Não desistam. A vacina é para quem não pegou ainda, e essa vacina daí é 50% de eficácia. Ou seja, jogar um moedinha pra cima é 50% de eficácia".

"Então, está liberada a aplicação no Brasil. E a vacina é do Brasil, não é de nenhum governador, não. É do Brasil. E o tratamento precoce, mais uma prova que dá certo, é que há questão de poucos meses nós éramos o país que tinha mais mortes por milhão de habitantes. Agora estamos, se eu não me engano, no 25º lugar. Só tem uma explicação", alegou.

Derrota política

Após a aprovação do uso da CoronaVac, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), iniciou a aplicação do imunizante no estado já no domingo (17), sendo bem sucedido. A situação foi uma grande derrota ao presidente Jair Bolsonaro, visto que Doria é seu adversário político e a imunização começou antes mesmo de uma ação por parte do governo federal.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE