COVID-19

Bolsonaro silencia sobre mais de 250 mil mortes por covid-19 e coloca em dúvida uso de máscaras

O mandatário citou um estudo alemão que supostamente versa que o uso do equipamento higiênico "pode ser prejudicial às crianças".

Ingrid Soares
postado em 25/02/2021 21:05 / atualizado em 25/02/2021 21:14

Em costumeira live semanal, o presidente Jair Bolsonaro não se pronunciou nesta quinta-feira (25/02) a respeito dos mais de 250 mil brasileiros que perderam a vida pela covid-19. No entanto, utilizou alguns minutos para colocar em dúvida o uso de máscaras como forma auxiliar de prevenção contra o vírus. O mandatário citou um estudo alemão que supostamente versa que o uso do equipamento higiênico "pode ser prejudicial  às crianças". 

“Começa a aparecer estudos sobre o uso de máscaras que num primeiro momento aqui, uma universidade alemã fala que elas são prejudiciais a crianças. E levam em conta vários itens aqui como irritabilidade, dor de cabeça, dificuldade de concentração, diminuição da percepção de felicidade, recusa em ir para a escola ou creche, desânimo, comprometimento da capacidade de aprendizado, vertigem, fadiga. Então começa a aparecer aqui os efeitos colaterais das máscaras, tá ok”, disse o presidente.

Por fim, o presidente disse que não entraria em maiores detalhes por conta de eventuais críticas que viesse a sofrer, mas que "aguarda um estudo mais aprofundado por parte de pessoas competentes".

"Não vou entrar em detalhes, porque tudo deságua em críticas em mim. Eu tenho a minha opinião sobre máscaras, que cada um tenha a sua. Mas a gente aguarda um estudo mais aprofundado sobre isso por parte de pessoas competentes”, concluiu.

O país também completa um ano do primeiro caso confirmado do novo coronavírus. Segundo divulgação do Ministério da Saúde nesta quinta-feira (25/02), a covid-19 vitimou fatalmente em 24 horas 1.541 brasileiros. O número é o segundo maior desde o início da pandemia. O primeiro é de 29 de julho quando foram registradas 1595 óbitos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE