Crítica

Eduardo Bolsonaro compartilha tuíte em que chama Kalil de 'ditadorzinho'

Prefeito de BH passou por cima da liminar concedida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal de permitir missas e cultos presenciais neste domingo de Páscoa

Natasha Werneck*/Estado de Minas
postado em 04/04/2021 15:53
 (crédito: Reprodução/Redes Sociais/Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
(crédito: Reprodução/Redes Sociais/Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) compartilhou um tuíte neste domingo (4/4) chamando o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD) de “ditadorzinho”. O filho 03 do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é contra a decisão do chefe do Executivo municipal de proibir missas e cultos na capital mineira.

No último sábado (3/4), o ministro do Supremo Tribunal Federal, Kassio Nunes Marques, concedeu uma liminar para liberar cultos e missas presenciais em todo o país. Kalil passou por cima da decisão e disse, em seu Twitter, que “vale o decreto do prefeito”.

Muitos bolsonaristas foram contra a decisão do prefeito de BH, entre eles o deputado federal Junio Amaral (Aliança pelo Brasil). Ele publicou um tuíte dizendo: “Ministro Nunes Marques deu 24h para o boca murcha de BH se explicar sobre sua insubordinação pública. Autorizou também a intervenção da PF sobre qualquer agente municipal que tentar impedir cultos e missas. Quero ver se o ditadorzinho é mesmo o todo poderoso que diz ser”, escreveu. A mensagem foi compartilhada por Eduardo Bolsonaro.

Apesar de as palavras serem de outro deputado, Eduardo já usou-as em outras ocasiões contra Kalil. “Parabéns BH, pela reeleição deste belo projeto de ditador, ou melhor, prefeito”, escreveu no Twitter, ao publicar um vídeo com um trecho da entrevista do prefeito no programa Roda Viva.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE