VOTO IMPRESSO

Bolsonaro sobre voto impresso: "Ganhe quem ganhar, mas na certeza"

O presidente já chamou o Brasil de "republiqueta" por realizar eleições por meio eletrônico. Disse ainda que, se o Congresso aprovar voto impresso, este será o modelo de 2022

Ingrid Soares
postado em 09/05/2021 13:59

O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender, neste domingo (9/5), a aprovação do voto impresso. Declaração foi feita a motociclistas simpatizantes com os quais realizou passeio pelas ruas da capital. Também estiveram presentes o ministro da Defesa, Braga Netto, a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), autora do projeto e o deputado federal Helio Negão (PSL-RJ). Ao som de "mito" e e "eu autorizo", o chefe do Executivo fez um rápido discurso sobre o Dia das Mães e repetiu defesa ao voto auditável.

"Com toda certeza nós aprovaremos no Parlamento e teremos, sim, uma maneira de auditar o voto por ocasião das eleições de 2022. Ganhe quem ganhar, mas na certeza, não na suspeição da fraude. Não podemos admitir isso porque o voto é essência da democracia e a sua contagem deve ser de conhecimento de todos e auditada para que realmente quem vocês, porventura, vierem a escolher no futuro, os represente", alegou.

O chefe do Executivo acrescentou que pegou o Brasil "arrebentado", mas que, com o apoio da população, superará os problemas nacionais.

"Peço a Deus paz para vocês, força para todos nós e garra para superarmos obstáculos. Pegamos um Brasil realmente arrebentado, ética, moral e economicamente. E, aos poucos vamos recuperando com apoio e consciência parte de todos vocês. Que estamos buscando fazer o melhor realmente para o nosso Brasil. Acredito nessa pátria verde e amarela. O nosso lema é Deus, pátria e família. Incomoda muita gente, mas sabemos que isso é essência de praticamente todos nós", concluiu.

Na última quinta-feira (6/5), o presidente chamou o Brasil de "republiqueta" por realizar eleições por meio eletrônico. Disse ainda que, se o Congresso aprovar voto impresso, esta será a maneira de realização das eleições de 2022, ou "não terá eleição". 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE