ELEIÇÕES

Bolsonaro sobre voto impresso e STF: "Promulgando, não vai ser derrubado, não"

Jair Bolsonaro ainda voltou a falar em suspeita de fraude nas eleições. O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, determinou a criação de uma comissão especial para discutir a PEC

Ingrid Soares
postado em 11/05/2021 20:38 / atualizado em 11/05/2021 21:13
 (crédito: Evaristo Sá/AFP)
(crédito: Evaristo Sá/AFP)

O presidente Jair Bolsonaro voltou a fazer defesa ao voto impresso nesta terça-feira (11/5), durante conversa com apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada. O mandatário ainda repetiu suspeitas de fraude nas eleições.

"Já tá instalada a comissão. Agora é começar a trabalhar. Não posso garantir aprovação lá, que é a maioria qualificada, três quintos. Na melhor das hipóteses, tem uma suspeita de fraude, no mínimo. No mínimo", disse.

O chefe do Executivo afirmou também que, caso seja aprovada a medida, acredita que, diferentemente de outras ocasiões, o Supremo Tribunal Federal (STF) não a derrubará.

"Não posso garantir. Passa pelo parlamento. As três vezes que nós passamos o voto impresso e o STF derrubou, né, passou pelo parlamento, obviamente. Dessa vez, passando e promulgando, não vai ser derrubado não, tenho certeza disso", alegou.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), determinou a criação de uma comissão especial para discutir a Proposta de Emenda à Constituição (PEC). A data da instalação ainda não foi definida e depende da definição dos integrantes do novo colegiado. A proposta teve a admissibilidade aprovada em dezembro de 2019 pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. O mandatário alegou, no fim de semana que, “ganhe quem ganhar, mas na certeza, não na suspeição da fraude”.

Na última quinta-feira (6/5), o presidente chamou o Brasil de "republiqueta" por realizar eleições por meio eletrônico. Disse ainda que, se o Congresso aprovar voto impresso, esta será a maneira de realização das eleições de 2022, ou "não terá eleição".

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE