CPI da Covid

Bolsonaro ironiza Renan Calheiros e sugere CPI do leite condensado

Presidente também voltou a negar a existência de um "orçamento secreto". Por fim, mandatário afirmou que deverá comparecer às duas manifestações programadas para este final de semana, no dia 15

Ingrid Soares
postado em 12/05/2021 11:25
 (crédito: EVARISTO SA / AFP)
(crédito: EVARISTO SA / AFP)

O presidente Jair Bolsonaro ironizou nesta quarta-feira (12/5) a Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) da covid-19. Ao relator da CPI, o senador Renan Calheiros (MDB-AL), o mandatário sugeriu que seja criada também uma "CPI do leite condensado". O chefe do Executivo reclamou sobre declaração de Calheiros, que afirmou que a investigação sobre desvios de verbas de estados poderá ser feita "se houver necessidade", mas que não é objetivo inicial da comissão.

"Vocês viram o Renan Calheiros essa semana? A CPI não existe para investigar desvio de recurso. Vou dar uma sugestão para o Renan: depois faça a CPI do leite condensado", apontou rindo.

Bolsonaro também voltou a negar a existência de um orçamento secreto revelado pelo Estado de S. Paulo. "E tem mais uma também, do 'orçamento secreto'. O parlamento votou o orçamento, meses, eu sancionei, tem lá R$ 3 bilhões secretamente".

Lula

A um apoiador que pediu informações sobre a repatriação dos bens do ex-presidente Luíz Inácio Lula da Silva, ele se limitou a dizer que o político "continua criminoso". "Ele não está inocentado, foi anulado o processo. Ele continua criminoso. A imprensa está com eles".

Por fim, o mandatário afirmou que deverá comparecer às duas manifestações programadas para este final de semana, no dia 15.

"Alguém vai estar dia 15 aí? Eu sei que eu vou estar lá com os ruralistas, parece que de manhã tem um movimento de evangélicos. Pretendo estar nos dois", concluiu.

No último dia 9, Bolsonaro convocou apoiadores a participarem de manifestações no próximo dia 15 de maio. Entidades de produtores rurais nos estados organizam atos de apoio ao mandatário, contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e pelo fim das medidas de isolamento social adotadas por governadores e prefeitos. Pela manhã, evangélicos realizarão a Marcha da Família.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE