CPI da Covid

Nise Yamaguchi nega participar e diz desconhecer existência de gabinete paralelo

Médica disse que se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro cerca de quatro vezes, mas nunca sozinha, e foi rebatida por senadores. Ela também afirmou que se reuniu no Ministério da Saúde inúmeras vezes

Sarah Teófilo
postado em 01/06/2021 12:17 / atualizado em 01/06/2021 13:17
 (crédito: Jefferson Rudy/Agência Senado)
(crédito: Jefferson Rudy/Agência Senado)

A médica Nise Yamaguchi negou, em depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19, nesta terça-feira (1º/6), a existência de um gabinete paralelo no governo federal durante a pandemia. O gabinete seria um assessoramento paralelo que alimentaria o presidente da República com informações negacionistas no combate à pandemia de coronavírus.

“Eu desconheço que exista e que eu faça parte. Sou uma colaboradora eventual, participo com ministros de Saúde como médica, cientista, chamada para opinar em reuniões governamentais, reuniões específicas”, afirmou. O relator Renan Calheiros (MDB-AL), por sua vez, afirmou que já está provado com depoimentos na CPI a existência de um gabinete paralelo usado pelo presidente para tomar as decisões sobre a pandemia. “Quero deixar claro que não participo de nenhum gabinete paralelo”, afirmou.

O senador, então, afirmou que já existem fortes evidências da participação do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos), do deputado federal Osmar Terra, do ex-assessor especial da Presidência, Arthur Weintraub, do empresário Carlos Wizard e do médico Luciano Azevedo no referido assessoramento paralelo. “Eu reitero que eu desconheço a existência de um gabinete paralelo. Eu nem tenho como enunciar pessoas que participam, porque eu não entendo onde o senhor deseja chegar, porque eu só participo como consultora individual”, disse.

Nise afirmou que nunca se reuniu sozinha com o presidente, e que deve ter se encontrado com ele cerca de quatro vezes. Ela foi rebatida pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que disse que, no ano passado, a médica afirmou que conversava com o presidente frequentemente, ao falar sobre o período em que estava sendo cotada para ministra da Saúde. Em vídeo, em julho do ano passado, ela afirmou: "Ele (Bolsonaro) não precisa me sondar, ele já me conhece, a gente conversa direto".

A médica nego ter participado de reunião com a presença de Caros Bolsonaro. "Não que eu soubesse", disse, afirmando que algumas reuniões havia muita gente. Ela confirmou já ter participado de reunião com Arthur Weintraub. 

  • Nise Yamaguchi em depoimento à CPI da Covid
    Nise Yamaguchi em depoimento à CPI da Covid Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
  • Nise Yamaguchi  em depoimento à CPI da Covid
    Nise Yamaguchi em depoimento à CPI da Covid Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE