CPI da Covid

Senador quer ouvir auditor do TCU responsável por "estudo paralelo"

Senador Humberto Costa (PT-PE) protocolou um requerimento de convocação para chamar Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques para explicar o suposto levantamento que indica que metade das mortes por covid-19 não ocorreu

Bruna Lima
postado em 08/06/2021 18:00
 (crédito: Reprodução/TCU)
(crédito: Reprodução/TCU)

O auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) apontado como responsável por elaborar um estudo paralelo indicando que metade das mortes por covid-19 no país, na verdade, não ocorreu, está na mira da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19. O senador da oposição Humberto Costa (PT-PE) protocolou, nesta terça-feira (8/6), um requerimento para convocar o servidor Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques, amigo dos filhos do presidente Jair Bolsonaro.

Para embasar o pedido, Humberto Costa citou a reportagem do jornalista do Correio Braziliense Vicente Nunes que, no Blog do Vicente, revelou a autoria do estudo paralelo. “Entendo importante o depoimento do convocado”, abreviou o senador, depois de citar na íntegra a reportagem, que revela que o auditor é amigo dos filhos do presidente Jair Bolsonaro e do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano.

O relatório não foi endossado por nenhum outro servidor do TCU, nem incorporado oficialmente como documento do órgão, mas chegou às mãos do presidente Jair Bolsonaro, que citou o estudo, na segunda-feira (7), como um argumento negacionista da pandemia. No dia seguinte, o mandatário admitiu o equívoco e afirmou que o estudo não pertencia ao tribunal.

O TCU abriu investigação para apurar a conduta de Alexandre. Ele foi procurado pelo Correio, mas afirmou que só falaria com autorização do órgão.

Após Humberto anunciar o requerimento em sessão o requerimento, o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), pediu para que acrescentasse um requerimento de quebra de sigilo. “Faz logo um pedido completo para a gente votar amanhã”, disse Aziz.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE