EDUARDO LEITE

Bolsonaro diz que Eduardo Leite está 'se achando o máximo' ao se assumir gay

"Bateu no peito: 'Eu assumi'. É um cartão de visita para a candidatura dele. Ninguém tem nada contra a vida particular de ninguém, agora querer impor o seu costume, o seu comportamento para os outros…", apontou o presidente

Ingrid Soares
postado em 02/07/2021 11:59
 (crédito: Reprodução/Youtube)
(crédito: Reprodução/Youtube)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (2/7) que o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), busca um cartão de visitas para as próximas eleições e que está se achando o máximo ao ter se assumido homossexual. Declaração foi dada a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

"O cara está se achando o máximo, está se achando o máximo... Olha, bateu no peito: 'Eu assumi'. É um cartão de visita para a candidatura dele. Ninguém tem nada contra a vida particular de ninguém, agora querer impor o seu costume, o seu comportamento para os outros…", apontou o mandatário.

Quando ainda era deputado, Bolsonaro chegou a dar entrevista relatando que preferia um filho morto do que gay. "Seria incapaz de amar um filho homossexual. Não vou dar uma de hipócrita aqui: prefiro que um filho meu morra num acidente do que apareça com um bigodudo por aí. Para mim, ele vai ter morrido mesmo".

Leite falou sobre a orientação no programa Conversa com Bial, da TV Globo, que será exibido na madrugada desta sexta-feira. “Eu sou gay, eu sou gay e sou um governador gay. Não sou um gay governador, tanto quanto (Barack) Obama nos Estados Unidos não foi um negro presidente. Foi um presidente negro. E tenho orgulho disso”, disse Eduardo Leite.

Segundo o tucano, em trecho da entrevista divulgado nas redes sociais, especulações e críticas ajudaram na decisão de falar sobre o assunto publicamente: "Como ser humano que sou, também tive as minhas inseguranças, o meu questionamento, mas foi um processo, para mim, de aceitação, de entendimento", concluiu.

Em junho, Bolsonaro usou o termo "pessoa alegre do Amapá" para se referir ao vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19, Randolfe Rodrigues. O mandatário deu um "testemunho" durante um culto realizado em Anápolis e, em certo ponto, comentou brevemente sobre a comissão, ironizando o grupo que preside a sessão. Ele caracterizou indiretamente o parlamentar com um comentário de cunho homofóbico.

Nesta sexta, ele fez comentário semelhante, ao comentar a atuação dos membros da CPI e chamou Randolfe, vice-presidente da comissão, de 'saltitante'. "Tem um médico bom para você: Dr. Omar Aziz (presidente da CPI). Outro médico bom também é o Renan Calheiros (relator). Tem um melhor ainda, o senador saltitante. Sabem tudo sobre covid. Sabem tudo".

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE