CRISE

Pacheco rebate Bolsonaro e diz que Congresso é que decide sobre voto impresso

Mais cedo, presidente da República alegou que Aécio Neves venceu o pleito de 2014 e disse que "pode não ter eleição em 2022"

Luiz Calcagno
Renato Souza
postado em 09/07/2021 17:28 / atualizado em 09/07/2021 17:29
 (crédito: Edilson Rodrigues/Agencia Senado)
(crédito: Edilson Rodrigues/Agencia Senado)

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, afirmou nesta sexta-feira (9/7) que o Congresso é que decide sobre a implantação ou não do voto impresso. Ele rebateu as declarações do presidente Jair Bolsonaro, que mais cedo voltou a dizer que "com fraude não terá eleições em 2022". 

O chefe do Executivo afirmou que Aécio Neves ganhou as eleições de 2014, sem apresentar provas. Bolsonaro alegou ainda que "todo mundo sabe quem ganhará as eleições de 2022", em uma referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que aparece na frente nas pesquisas de intenção de voto para presidente.

Rodrigo Pacheco destacou que a retaliação das eleições é uma previsão da Constituição, e que não cabe ao "Congresso, ao Supremo ou ao presidente da República" decidir sobre isso. Em um discurso forte contra retrocessos democráticos, ele rechaçou qualquer escalada autoritária.

"Todo aquele que pretender algum retrocesso ao Estado democrático de direito esteja certo que será apontado pelo povo brasileiro e pela história como inimigo da Nação", disse Pacheco sobre o que ele chamou de "suposições" em relação a subversão da democracia.

 

"Todo aquele que pretender algum retrocesso ao Estado democratico de direito esteja certo que será apontado pelo povo brasileiro e pela história como inimigo da Nação", disse Pacheco sobre o que ele chamou de "suposições" em relação a subversão da democracia. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE