CPI DA COVID

Omar Aziz ironiza ausência de médicos pró-cloroquina em Nobel de Medicina

Presidente da CPI ironizou os médicos que defendem os medicamentos sem eficácia. Segundo o senador, o grupo concorreu

Raphael Felice
postado em 05/10/2021 13:18 / atualizado em 05/10/2021 13:19
 (crédito: Agência Senado/Reprodução)
(crédito: Agência Senado/Reprodução)

Nesta segunda-feira (4/10), dois médicos americanos ganharam o Prêmio Nobel de Medicina. O presidente da CPI, Omar Aziz (PSD/AM), ironizou a ausência de médicos e cientistas brasileiros que defenderam substâncias sem eficácia comprovada no tratamento da Covid-19, como hidroxicloroquina, cloroquina, ivermectina e azitromicina.

"Ontem, assistindo à TV e lendo, (vi que) saiu dois americanos, um deles libanês naturalizado americano, que ganharam o Prêmio Nobel Medicina. Pensei que o pessoal do Brasil que estava concorrendo, que prescreveu cloroquina, que induziu o povo a tomar cloroquina, nenhum deles foi sequer citado”, disse.

Nesta terça-feira (5/10), a CPI recebe Raimundo Nonato Brasil, CEO da VTCLog - empresa contratada pelo Ministério da Saúde para entrega de vacinas e outros insumos. A comissão tem provas de que a transportadora teria destinado pagamentos à Roberto Dias, ex-diretor de logística da Pasta.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE