Reajuste salarial

Bolsonaro negocia reestruturação das polícias para "corrigir injustiças"

Governo se reunirá às 15h30 desta terça-feira (14/12) para discutir o assunto com as lideranças das forças, equipe econômica e Ministério da Justiça

Ingrid Soares
postado em 14/12/2021 14:02 / atualizado em 14/12/2021 14:07
 (crédito: Reprodução / TV Brasil)
(crédito: Reprodução / TV Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o governo discutirá durante reunião na tarde desta terça-feira (14/12) a reestruturação das polícias. Na mesa, às 15h30, estará o Ministério da Justiça, da Economia e das lideranças policiais. A declaração ocorreu durante o lançamento do Programa Rodovida, para redução da violência no trânsito, ocorrido no Palácio do Planalto.

O chefe do Executivo destacou que a reestruturação é uma forma de "corrigir injustiças". A reestruturação e o reajuste salarial deverão englobar integrantes da Polícia Federal (PF), da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), e os percentuais deverão ser decididos ainda hoje.

"A gente tem que reconhecer o trabalho de vocês, óbvio. Agora há pouco estava com Anderson (Torres, ministro da Justiça), com Tarcísio (de Freitas, da Infraestrutura), Milton (Ribeiro, da Educação), Ricardo Barros (líder do governo na Câmara), entre outros, e o (Silvinei) Vasques (diretor-geral da PRF) conversando lá em cima. Temos reunião hoje à tarde. Não é bom a gente falar antes das coisas acontecerem, mas temos reunião com a equipe econômica para discutir também uma coisa que interessa a todos vocês, homem, mulher, PRF, PF e Polícia Penal."

E continuou: "Aqui está a Tânia (Fogaça, diretora-geral do Depen), está o (Paulo Gustavo) Maiurino (diretor-geral da PF e está o Vasques (PRF). Vocês estão convidados a participar de reunião com a equipe econômica hoje à tarde. Algumas injustiças acontecem em nossas vidas, reconheço. Não quero me eximir de responsabilidade. Nós temos que buscar corrigi-las. Se Deus quiser, teremos uma reunião bastante profícua onde possamos atender a todos vocês". 

O presidente ainda destacou que é necessário a valorização das polícias. "Temos que valorizar vocês também. Não podemos ficar apenas nos discursos e nas promessas. O Brasil vive um momento difícil, pós-pandemia que, se Deus quiser, chegou ao fim. Se bem que há como consequência a inflação, o aumento do combustível, entre outros. Mas a gente vai vencer esse momento", concluiu.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, disse que a reestruturação deve sair em 2022. "Nossa ideia é reestruturar a carreira da PRF, criar uma carreira de verdade para eles. Mudar algumas coisa nas carreiras da PF, nas carreira de agente, escrivão, papiloscopista, delegado e administrativos. E regulamentar e organizar a polícia penal. São questões que estão pendentes já há algum tempo, de regulamentação, de reestruturação. A gente chegou agora, conseguiu finalizar e vamos apresentar hoje, de forma oficial, para discutir com a equipe econômica".

Aumentos

Segundo Torres, a equipe econômica já está ciente da intenção do governo de conceder aumento às forças. "Nós vamos conversar hoje à tarde. Ele já sabia disso. Havia essa previsão de a gente fazer isso no governo, não é segredo para ninguém. Então, assim, reagiu bem, e a gente vai conversar agora à tarde".

Ele completou que ainda não há estimativas de valores. "É diferente das diversas categorias. A PRF apresentou o projeto dela, a PF apresentou o dela. São projetos distintos. Nada disso está fechado ainda. Tem que fazer a previsão orçamentária este ano para, no ano que vem, ser apresentada uma medida provisória", emendou.

"Tudo depende dessa reunião, mas nós não vamos fazer nada em desacordo, nós não vamos fazer nada desalinhado com os outros ministérios, nós vamos alinhar e depois pedir."

CNH e multa

Bolsonaro aproveitou a ocasião para citar medidas do governo, como a ampliação da validade da CNH e, com bom humor, relatou ter sido multado por duas vezes.

"A gente procura também atender o usuário. Eu já fui parado por vocês várias vezes na pista. Pelo que me lembro, só peguei duas multas pelo radar, mas nada além disso aí. Multa merecida. Em um 'descidão', na reta, botava na banguela. Aqueles bons tempos meus de tenente capitão. E a gente procura facilitar a vida do motorista, como, por exemplo, na (validade da) habilitação de 5 para 10 anos, infelizmente até os 50 anos de idade. Nós botamos até os 65, com todo o respeito, olha para minha cara, 66, eu tô novo, porra, tô fazendo mais coisa que muito garoto não faz aí", riu.







Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE