CRISE

Parlamentares apoiam nota em que presidente da Anvisa cobra Bolsonaro

Em nota divulgada na noite de sábado, Barra Torres desafiou o chefe do Executivo a apresentar provas de que há corrupção no órgão regulador

Cristiane Noberto
postado em 10/01/2022 06:00 / atualizado em 10/01/2022 06:02
A agência virou alvo de Bolsonaro após aprovar a vacinação em crianças de 5 a 11 anos -  (crédito: Andrej Ivanov/AFP)
A agência virou alvo de Bolsonaro após aprovar a vacinação em crianças de 5 a 11 anos - (crédito: Andrej Ivanov/AFP)

Congressistas ouvidos pelo Correio apoiam a reação do presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, que rebateu as críticas feitas pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) à instituição. Em nota divulgada na noite de sábado, Barra Torres desafiou o chefe do Executivo a apresentar provas de que há corrupção no órgão regulador, que aprovou a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a covid-19.

O líder do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados, Reginaldo Lopes (MG), afirma que a nota mostrou "postura firme em defesa da ciência e da verdade". "O presidente precisa provar as insinuações que fez e respeitar as instituições e o povo brasileiro. Nosso mandato apresentou notícia-crime denunciando Bolsonaro por intimidar e incitar o crime contra servidores públicos da Anvisa que aprovaram as vacinas contra a covid-19 para as crianças", disse.

O senador Izalci Lucas (PSDB-DF), líder do PSDB no Senado, também elogiou o posicionamento de Barra Torres. "Acho que foi um comentário muito infeliz [de Bolsonaro] no sentido de colocar em dúvida se a Anvisa tinha algum interesse por trás. Mas, não acredito que ele [Bolsonaro] irá responder. Vai dizer que 'não foi bem isso', como sempre. O Torres tem mandato. Tem mais é que responder mesmo, pois fortalece a credibilidade das agências e mantém a independência do órgão", frisou.

Vice-líder do PCdoB na Câmara, a deputada Alice Portugal (BA) diz que Bolsonaro deveria responder aos questionamentos de Barra Torres e se retratar das acusações feitas. "A questão não é pessoal. Mostra a autonomia técnico-científica do órgão e é muito importante para a saúde pública. Como um presidente chama a Anvisa de 'tarados por vacina' e desconhece a estatística de morte de crianças por covid-19? A carta veio em bom momento e de certa forma resgata o perfil de alguém que dirige um dos maiores órgãos sanitários do mundo, responsável pelo êxito da vacinação no Brasil em meio a uma cruzada negacionista", aponta.

O deputado Fábio Trad (PSD-MG), segundo-vice líder do PSD na Câmara também elogia o posicionamento do chefe da Anvisa. "A verdade é que se Bolsonaro não se retratar e ficar por isso mesmo, a insinuação ganhará contornos de suspeita, isto é ruim para Barra Torres, péssimo para a Anvisa e muito incômodo para todos nós brasileiros, que acreditamos na agência reguladora", disse.

 


CONTINUE LENDO SOBRE