live bolsonaro

Bolsonaro volta a atacar Anvisa: "Virou outro poder no Brasil. É a dona da verdade"

Em primeira live após internação, o presidente também utilizou o espaço para voltar a desestimular a imunização infantil. "Minha filha de 11 não será vacinada, Se você quiser seguir meu exemplo, tudo bem"

Taísa Medeiros
postado em 06/01/2022 20:38 / atualizado em 06/01/2022 20:44
 (crédito: Reprodução)
(crédito: Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) realizou, nesta quinta-feira (06/01) mais uma live com apoiadores pelas redes sociais. Nesta, que foi a primeira transmissão ao vivo após os dois dias internado por conta de uma obstrução intestinal, o chefe do Executivo fez declarações em tom crítico à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e realizou alertas que desestimulam a vacinação da população pediátrica.

Interrompendo o discurso inúmeras vezes para tossir, o presidente dedicou boa parte da live para comentar a respeito da aprovação da aplicação da vacina da Pfizer em crianças de 5 a 11 anos. “A vacina será de forma não-obrigatória. Nenhum prefeito ou governador poderá impedir o garoto ou garota de se matricular nas escolas por falta de vacina. Eu adianto a minha posição: a minha filha de 11 anos não será vacinada. Se você quiser seguir meu exemplo, tudo bem”, disse.

Além disso, leu as recomendações realizadas pela agência reguladora a respeito de possíveis reações adversas à vacina, ressaltando que a fabricante não se responsabiliza por eventuais efeitos adversos. “Você já imaginou seu filho de 5 anos de idade, 7 ou 8, sentir dor no peito. Falta de ar, ou palpitações: a orientação é procurar imediatamente um médico. Pai e mãe estão cientes da responsabilidade de vocês em vacinar ou não os seus filhos”, alertou, em um claro discurso antivacina.

Em seguida, pediu que a equipe que estava presente na transmissão ‘levantasse a mão quem tomou a vacina’, e informou: “dos dez aqui presentes, sete não tomaram vacina. Os três que tomaram não vão tomar dose de reforço”, relatou.

Após mencionar as informações relacionadas à vacinação, Bolsonaro disse, em tom crítico. “A Anvisa virou outro poder no Brasil. É a dona da verdade, dona de tudo. Agora já falam até em terceira dose para crianças de 5 a 11 anos”.

Quando questionado pelos internautas sobre seu estado de saúde e os cuidados que terá a partir de agora, o chefe do Executivo disse que “tomou muita bronca da esposa” e de seu médico, Antônio Luiz Macedo, que acompanha o presidente desde 2018. “Não posso garantir que não vou tomar um caldo de cana e comer um pastel. Sei que se tiver alguma nova cirurgia sei que complica a situação, mas não vou deixar de viver”, concluiu.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE