Funcionalismo

Mourão sobre reajuste salarial de servidores: "Não tem espaço no orçamento"

Perguntado se aumento ficaria restrito a servidores da Segurança e da Saúde, general rebateu: "Não sei nem se o presidente vai conceder isso aí". Segundo ele, é necessário aguardar Bolsonaro "bater o martelo"

Ingrid Soares
postado em 18/01/2022 12:56 / atualizado em 18/01/2022 12:58
 (crédito: EVARISTO SA)
(crédito: EVARISTO SA)

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), afirmou nesta terça-feira (18/1) que não há espaço no orçamento para a concessão de reajustes salarias a servidores. O general ainda colocou em dúvida o aumento já prometido a categorias como servidores da Segurança e da Saúde.

"Você sabe muito bem que não tem espaço no orçamento para isso, né?", apontou. Servidores deflagraram hoje protestos por reajuste salarial e reestruturação de carreiras. A expectativa, segundo líderes sindicais, é que a mobilização neste e no próximo mês seja a maior desde 2015. Os fóruns e associações que organizam os atos representam ao menos 1,2 milhão de servidores em todo o país, desde a elite do funcionalismo até o "carreirão". Eles pedem reajustes salariais após o Congresso ter aprovado um espaço de R$ 1,9 bilhão no Orçamento para reajustes a policiais.

As demais categorias do serviço público, a começar pelos auditores da Receita Federal, se sentiram discriminados e passaram a pressionar o Ministério da Economia na tentativa de combater a medida que privilegiou os policiais, que compõem a base do governo Bolsonaro. O grande erro do presidente, segundo especialistas, foi não ter previsto que o aumento a categorias específicas resultaria em um efeito cascata.

Perguntado por jornalistas se o reajuste ficaria restrito a servidores da segurança e saúde, Mourão rebateu: "Não sei nem se o presidente vai conceder isso aí", completou, dizendo ser necessário aguardar Bolsonaro "bater o martelo".

Integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF) alertaram o presidente sobre o risco jurídico de conceder aumento salarial apenas para as forças policiais. O chefe do Executivo foi avisado que o reajuste deveria ser concedido a todo o funcionalismo público para evitar uma enxurrada de ações no Judiciário.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE