Antivacina

Vereador toma vacina contra covid e vai participar de ato antivax em Londres

O bolsonarista Nikolas Ferreira se imunizou contra covid-19 para viajar a Europa. Na segunda (24/1), ele publicou uma foto em uma manifestação antivacina

Pedro Grigori
postado em 25/01/2022 18:52 / atualizado em 25/01/2022 22:14
 (crédito: Reprodução/Redes Sociais )
(crédito: Reprodução/Redes Sociais )

O vereador bolsonarista de Belo Horizonte (MG) Nikolas Ferreira (PRTB) se vacinou contra covid-19 para poder viajar ao exterior neste mês. Um dos compromissos do parlamentar em solo europeu foi um ato antivacina. 

No ano passado, o vereador tomou a primeira dose do imunizante, mas reforçou ser contrário a imunização, e disse que só se vacinou para fazer uma viagem a trabalho na Europa em janeiro de 2022. “Estou me sentindo imposto [a tomar a vacina contra COVID-19] porque estou indo para uma viagem importante. Eu não ia deixar de viajar. Mas foi algo contra a minha vontade”, disse a um podcast na época.

Em storie publicado no Instagram na última segunda (24/1), Nikolas aparece em um protesto contra a vacinação. O vereador está do lado de uma ativista que segura um cartaz com os dizeres: "Please, don't jab kids" ("Por favor, não vacinem as crianças", em livre tradução"). 

Ao jornal Estado de Minas, Nikolas negou ser contrário à imunização de crianças. O político ponderou que é contra o que chama de "coerção dos pais para adesão à campanha". "Existe uma coerção aos pais. Eles precisam autorizar a vacina, mas são pressionados até cederem. Tem todo um discurso de que, se eles não levarem os filhos para a vacinação, eles não têm empatia, não se importam com as crianças. Isso não é liberdade. Liberdade sob pressão não é liberdade. Para mim, os pais é que decidem sobre os filhos. O estado não pode querer tomar nossas crianças", defende o vereador.

Brasileiros precisam ter tomado as duas doses da vacina contra covid-19 para entrar na Inglaterra sem fazer quarentena.


O vereador recebeu críticas de membros da Câmara Municipal de BH. A vereadora Duda Salabert (PDT) classificou o ato do colega como irresponsável. "O dever da Câmara é lutar pela aceleração da vacinação de crianças para um retorno mais seguro às aulas. Então, acho bastante irresponsável que o vereador se posicione desta maneira em relação á vacinação infantil. E especialmente num contexto em que a COVID-19 mata mais do que muitas doenças infecciosas", comentou Duda ao Estado de Minas.

Além de Londres, Nikolas passou por outros países europeus como Bélgica, Portugal e Luxemburgo, no que ele chamou de "missão religiosa". A Câmara Municipal de BH confirmou ao Estado de Minas que a instituição não financia a viagem do vereador ao exterior.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE