CONGRESSO

Mesmo com pressão de governadores, PL dos Combustíveis deve ser votado hoje

"Os relatórios estão prontos e não devem ter mudanças substanciais. Estamos trabalhando para oferecer aos brasileiros mecanismos capazes de reduzir o impacto dos aumentos dos preços do barril de petróleo e do dólar nos preços dos combustíveis", afirmou o relator, Jean Paul Prates

Cristiane Noberto
postado em 09/03/2022 12:55 / atualizado em 09/03/2022 12:57
 (crédito: Roque de Sá/Agência Senado)
(crédito: Roque de Sá/Agência Senado)

Relator das propostas que prometem baratear os combustiveis, o senador Jean Paul Prates (PT-RN) confirmou a votação dos projetos na sessão legislativa do Senado desta quarta-feira (9/3). Ainda sob pressão de governadores que temem baixa arrecadação, o texto tem apoio do governo federal.

“Hoje pela manhã, em reunião com o presidente do Senado (Rodrigo Pacheco),  o ministro da Economia (Paulo Guedes) e lideranças do Senado, ficou acordada a votação do PL 1472/2021 e do PLP 11/2020 na Sessão Plenária desta quarta-feira. Os relatórios estão prontos e não devem ter mudanças substanciais. Estamos trabalhando para oferecer aos brasileiros mecanismos capazes de reduzir o impacto dos aumentos dos preços do barril de petróleo e do dólar nos preços dos combustíveis”, afirmou Prates.

O PL 1.472/21 estabelece a criação de diretrizes de preços para diesel, gasolina e GLP, além de instituir imposto de exportação sobre o petróleo bruto e de criar um Fundo de Estabilização para os preços — que seria composto pelos royalties da venda do petróleo.

Já o PLP 11/20 propõe alterações na cobrança do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), arrecadado pelos estados. A proposta é que o tributo seja aplicado sobre o litro do combustível um valor fixo, e não por um percentual no valor final da compra, como é hoje.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE