ALTAS NOS PREÇOS

Pacheco volta a cobrar Petrobras por preço de combustível: "Fazer sua parte"

O presidente do Senado, usou as redes sociais para comentar o tema

Raphael Felice
postado em 14/03/2022 19:47
"O Senado votou duas matérias para conter a escalada dos preços dos combustíveis e agora a Petrobras precisa fazer a sua parte e cumprir seu papel social. Os brasileiros e brasileiras não podem ser ainda mais penalizados", publicou - (crédito: Jefferson Rudy/Agência Senado)

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) usou as redes sociais nesta segunda-feira (14/3) para cobrar a participação da Petrobras nos esforços para reduzir a escalada nos preços dos combustíveis. Nas últimas semanas os desdobramentos da invasão da Rússia à Ucrânia fez com que a alta nos combustíveis disparasse ainda mais.

“O Senado votou duas matérias para conter a escalada dos preços dos combustíveis e agora a Petrobras precisa fazer a sua parte e cumprir seu papel social. Os brasileiros e brasileiras não podem ser ainda mais penalizados”, publicou.

Executivo

Em busca de uma solução para amortizar os preços puxados pelo barril de petróleo, governo federal e Congresso buscam propostas para aliviar a alta. Na última sexta-feira o presidente Jair Bolsonaro (PL) sancionou um Projeto de Lei Complementar (PLP) que altera a forma de cobrança do ICMS. Segundo o governo, a proposta pode reduzir cerca de R$ 0,50 no litro do combustível cobrado na bomba.

O relator da proposta no Senado Federal, senador Jean Paul Prates (PT-RN), disse que a sanção é “um passo importante”, mas disse que para um melhor resultado na mitigação dos combustíveis, será necessário a aprovação da Conta de Estabilização, aprovada no Senado e que tramita na Câmara dos Deputados.

A conta de estabilização prevê o uso de dividendos da Petrobras pagos à União e as receitas do pré-sal.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE