Diplomacia

Bolsonaro já fez piada com esposa de Macron, reeleito presidente da França

Crise diplomática aconteceu em 2019, em meio a discussão sobre o aumento de queimadas na Amazônia; veja outros momentos da relação tensa entre os presidentes

Mariana Costa - Estado de Minas
postado em 24/04/2022 21:08
 (crédito: BRENDAN SMIALOWSKI)
(crédito: BRENDAN SMIALOWSKI)

O presidente da França, Emmanuel Macron, foi reeleito para um novo mandato de cinco anos, neste domingo (24/4). Macron comemorou a vitória ao lado da esposa Brigitte, que em 2019 foi alvo de uma piada feita pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), nas redes sociais.

Na ocasião, Bolsonaro e Macron vinham trocando farpas a respeito da situação da Amazônia. Em agosto daquele ano, o presidente francês convocou os países do G7 a discutirem as queimadas na Amazônia, em uma postagem no Twitter. Bolsonaro foi a mesma rede social e respondeu que Macron usava um tom sensacionalista e estava querendo instrumentalizar uma questão interna do Brasil.

A partir daí, a situação escalou com declarações ofensivas ao presidente francês feitas pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) e pelo ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Dias depois, um seguidor do presidente postou a foto de Brigitte e da primeira-dama Michelle, dizendo que Macron o estaria perseguindo por inveja. Bolsonaro respondeu: “Não humilha cara. Kkkkk”.

A comparação fazia referência às idades das duas esposas e dava a entender que Bolsonaro teria vantagem porque a sua era mais jovem. Em resposta, Macron considerou Bolsonaro “extremamente desrespeitoso” e disse lamentar pelos brasileiros.

Relação tensa

Mas a animosidade entre os chefes de estado não parou por aí. Durante uma das lives que o presidente faz às quintas-feiras, Bolsonaro disse que o valor transferido pela França, para o fundo de preservação da Amazônia, ao Brasil era “esmola” e acusou os europeus de estarem tentando “comprar o Brasil a prestação”.

No discurso de 7 de setembro de 2019, Bolsonaro alfinetou o presidente francês ao afirmar que ele atentou contra a soberania do Brasil, ao sugerir a internacionalização da Amazônia.

“A todos os brasileiros, nós pedimos, conscientize-se cada vez mais de quem é esse país, essa maravilha chamada Brasil. Um país ímpar no mundo, que tem tudo para dar certo e precisamos, sim, de cada um de vocês, para reconstruí-lo. E a liberdade está em primeiro lugar. (...) O Brasil é nosso, é verde e amarelo”, destacou.

Já em novembro do ano passado, Bolsonaro criticou Macron após o presidente francês ter recebido em clima de visita oficial o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Parece que é uma provocação", declarou Bolsonaro em entrevista à Rádio Sociedade da Bahia.

"França não é exemplo para nós, muito menos o senhor Macron. Macron está muito bem acompanhado por Lula, e Lula muito bem acompanhado por Macron, eles se entendem, falam a mesma linguagem", disparou o presidente. "Macron sempre bateu na gente na questão da Amazônia, como se ele e os antecessores dele tivessem preservado alguma coisa na França", acrescentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE