eleições

Covid-19 freia agenda de pré-candidatos ao Planalto

Ciro Gomes cancela agenda após testar positivo. Doença também impacta Simone Tebet e Geraldo Alckmin, postulante a vice

Vinicius Doria
postado em 10/05/2022 06:00
 (crédito:  PDT/SP/Flickr)
(crédito: PDT/SP/Flickr)

Com Ciro Gomes (PDT-CE), já são três os pré-candidatos da corrida eleitoral ao Palácio do Planalto que ficarão no estaleiro pelos próximos dias por causa da covid-19. O ex-governador anunciou, ontem, que testou positivo para doença, juntando-se a Geraldo Alckmin (PSB-SP), pré-candidato a vice na chapa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT-SP), e à senadora Simone Tebet, postulante do MDB, que se impôs uma quarentena depois de saber que o marido, o secretário de governo de Mato Grosso do Sul, Eduardo Rocha, estava contaminado.

Por causa da doença, Ciro Gomes teve que cancelar toda a agenda programada para esta semana, no Rio de Janeiro. De acordo com assessores, ele passa bem, com sintomas leves, semelhantes aos de um resfriado comum, e só voltará a fazer teste de detecção da doença daqui a cinco dias. Até lá, ficará isolado.

Entre os compromissos cancelados estavam entrevistas e encontros políticos na capital fluminense, como uma conversa com o ex-prefeito de Niterói Rodrigo Neves, pré-candidato pedetista ao governo do estado. Mas, como está se sentindo bem, Ciro manteve para hoje, às 19h, a "Cirogame", live que costuma transmitir às terças-feiras. Essa é a segunda vez que o político cearense contrai a covid-19 (a primeira foi em 2020).

A senadora Simone Tebet (MS), por sua vez, também teve de suspender a agenda pública por causa do exame positivo do marido. Ela está assintomática e deve se submeter, hoje, em Campo Grande, a novo teste de detecção da doença para definir se poderá voltar à pré-campanha. Por isso, adiou um encontro que teria, ontem, na Associação Comercial de São Paulo, para conversar com empresários. Se o exame der positivo, Tebet também ficará ausente das sessões do Senado entre hoje e quinta-feira.

Por causa da covid-19, Geraldo Alckmin não pôde comparecer presencialmente à festa de lançamento da chapa com Lula, no sábado, em São Paulo. Com sintomas brandos, ele discursou de casa, por videoconferência. Ainda não há previsão de alta. De acordo com a equipe que o acompanha, o pré-candidato a vice está fechando com a coordenação da campanha do petista quais tarefas desempenhará na corrida eleitoral.

Obrigado pela doença a ficar em casa, o ex-governador de São Paulo não pôde acompanhar Lula na viagem que o ex-presidente está fazendo a Minas Gerais, onde o pré-candidato agendou compromissos em Belo Horizonte, Contagem e Juiz de Fora.

Doria em NY

A pré-campanha eleitoral também não terá a presença de João Doria (PSDB-SP) nesta semana. Ele está em Nova York, nos Estados Unidos, para uma série de encontros com empresários, investidores e representantes de bancos. Ontem, o ex-governador de São Paulo participou da cerimônia de abertura da Brazil Week, promovida pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, em que a empresária Luiza Trajano recebeu o prêmio Personalidade do Ano 2022.

Doria só retorna ao Brasil na quinta-feira. Na semana que vem, o pré-candidato tucano à Presidência retoma a rotina de viagens pelo país, com agendas definidas no Maranhão e em Goiás.

CONTINUE LENDO SOBRE