ELEIÇÕES

Fachin diz que "nada e nem ninguém" vai interferir na Justiça Eleitoral

Tribunal Superior Eleitoral (TSE) realiza testes nas urnas eletrônicas. Presidente Jair Bolsonaro sugeriu que Forças Armadas fizessem contagem de votos paralela

Luana Patriolino
postado em 12/05/2022 14:25 / atualizado em 12/05/2022 14:26
 (crédito:  Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
(crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

O presidente do Superior Tribunal Eleitoral (TSE), Edson Fachin, disse, nesta quinta-feira (12/5), que ninguém irá interferir na Justiça Eleitoral. A Corte enfrenta uma crise com o Executivo, desde que o presidente Jair Bolsonaro (PL), sugeriu que as Forças Armadas fizessem uma apuração paralela de votos das eleições deste ano.

Fachin participou de uma rodada de testes de urnas eletrônicas no prédio do TSE. “Nada e nem ninguém vai interferir na Justiça Eleitoral”, disse, ressaltando que o processo eleitoral brasileiro é totalmente seguro. “No Brasil de hoje, quem põe em dúvida o processo eleitoral é porque não confia na democracia”, afirmou. 

Perguntado se a declaração era um recado a Bolsonaro, o magistrado negou. “Não mando e não recebo recado de ninguém. A afirmação é muito nítida no sentido de que a democracia no Brasil é uma condição eleita pela Constituição, portanto, quem investe contra o processo eleitoral descrito na Constituição investe contra ela e contra a democracia.”

Edson Fachin ainda destacou o trabalho dos técnicos da corte eleitoral para garantir a lisura das eleições deste ano. “Temos muito orgulho da equipe do TSE, tem sido firme, correta e de honestidade técnica. [Meu] Agradecimento aos executores de testes. O relatório será entregue até o final do mês”, disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE