CNC

Em evento com empresários, Bolsonaro defende independência do BC

"Entendo que um Banco Central independente é importante. Hoje temos um PIB fantástico e subimos para a 10ª economia do mundo. Quem leva isso para a frente são vocês. Meu trabalho é não atrapalhar", disse em evento da CNC

Cristiane Noberto
postado em 22/06/2022 17:35 / atualizado em 22/06/2022 17:35
 (crédito: Isac Nóbrega/PR)
(crédito: Isac Nóbrega/PR)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) defendeu o livre mercado e a independência do Banco Central em um encontro da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), ocorrido em Brasília, nesta quarta-feira (22/6).

“Entendo que um Banco Central independente é importante. Hoje temos um PIB fantástico e subimos para a 10ª economia do mundo. Quem leva isso para a frente são vocês. Meu trabalho é não atrapalhar”, disse em nota divulgada pela CNC. O pronunciamento não foi transmitido a pedido do Palácio do Planalto.

De acordo com a entidade, o presidente também elencou ações econômicas implementadas recentemente, como os marcos regulatórios aprovados para o setor, os acordos comerciais e o leilão de 5G.

O presidente também voltou a falar sobre a recriação do Ministério da Indústria e do Comércio, com representante indicado pelo setor. Segundo a CNC, Bolsonaro reforçou um olhar mais aguçado para o setor.

Criação de empregos

Presidente Bolsonaro recebe do Presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, Jose Roberto Tadros, a Agenda Institucional do Sistema Comércio.
Presidente Bolsonaro recebe do Presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, Jose Roberto Tadros, a Agenda Institucional do Sistema Comércio. (foto: Isac Nóbrega/PR)

O chefe do Executivo pontuou ainda que o governo federal realizou ações em prol do comércio. “Muitas cadeias produtivas foram afetadas, mas a nossa economia não parou em 2020, sobretudo por programas como Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte) e auxílio emergencial. Em 2021, os senhores criaram mais empregos do que em anos sem pandemia, como 2014 e 2015”, pontuou.

Para Bolsonaro, o país alcançou um patamar de relevância mundial, apesar da crise sanitária. “Todo mundo hoje reconhece a importância do Brasil. Nosso país é um porto-seguro, tem segurança jurídica, é um governo que cumpre seus contratos. Conseguimos avançar, mas a pandemia serve como uma experiência dolorosa para todos nós.”

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE