Ludmilla vai entrar com pedido de prisão contra apresentador brasiliense

Marcão do Povo, que comanda o Balanço Geral DF, chamou a cantora de "macaca" ao vivo durante o programa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/01/2017 20:22 / atualizado em 17/01/2017 23:28

Fernando Schlaepfer/Divulgação
 

 

A funkeira Ludmilla vai entrar com um pedido de prisão contra o apresentador Marcos Paulo Ribeiro de Moraes, conhecido como Marcão do Povo, que comanda a versão brasiliense do programa Balanço Geral. Na última segunda-feira (9/1), o jornalista chamou a cantora de "macaca" ao comentar uma reportagem sobre ela no quadro A Hora da Venenosa.

 

Leia mais notícias em Brasil 

 

A decisão da artista, de levar o caso à Justiça, foi divulgada ao Correio pelo empresário da cantora, Alexandre Baptestini. "A mãe dela acabou de me ligar chorando muito. Tem que acabar com isso no Brasil", disse Alexandre.

 

 

 

A injúria foi proferida ao vivo, logo após a veiculação de uma notícia que dizia que Ludmilla teria combinado com o garçom de um restaurante carioca para que ele mentisse que ela estava gripada, a fim de evitar que os fãs se aproximassem da cantora para tirar fotos. Marcão então disse que "não dava para entender" a atitude da artista que "era pobre, macaca".

 

No momento da ofensa, o apresentador estava acompanhado da jornalista Sabrinna Albert, que comanda o A Hora da Venenosa. Ela, inclusive, parece ter ficado constrangida com o comentário do colega.

 

O empresário de Ludmilla também negou a história de que a cantora inventava desculpas para se esquivar dos fãs. Ele disse que a equipe do programa terá que provar, judicialmente, "que garçom era esse". Por fim, Alexandre afirmou que a cantora deve registrar ocorrência contra o apresentador nesta quarta-feira (18/1).

 

Dona dos hits Hoje, Sou eu e 24 horas por dia, Ludmilla sofre com um histórico de ataques racistas. Em maio do ano passado, por exemplo, um internauta foi até uma rede social da artista para dizer: "odeio essa criola. Nojenta. A feiosa se acha putzzz [sic]". Antes disso, no carnaval de 2016, também durante uma transmissão ao vivo, a apresentadora Val Marchiori teria dito que o cabelo de Ludmilla era "bombril".

 

A reportagem entrou em contato com o apresentador em seu número de telefone pessoal. Uma pessoa que se identificou como "Rick" confirmou que o número era de Marcão, mas disse que o jornalista estaria em uma reunião. O contato foi feito por volta das 22h desta terça-feira (17/1).

 

Também na noite desta terça-feira, Marcão tornou privadas suas contas no Instagram e no Twitter e excluiu sua página no Facebook. 

 



"Não deixaremos impune" 

Depois que o caso ganhou repercussão nas redes sociais, a cantora usou sua conta no Facebook para dizer que não deixará "impune tais atos". "Trata-se de um desrespeito absurdo, vergonhoso. Fica evidente que esse cidadão não possui nenhum pudor ou constrangimento em ofender alguém em rede nacional", afirmou. Ela finalizou dizendo que o racismo "tem que ser combatido" e que ela fará sua "parte, quantas vezes for necessário".

 

 

 

Confira a publicação na íntegra:

 

"Infelizmente, ainda existem pessoas que não compreendem que a discriminação racial é crime e alguns, ainda usam o espaço na mídia para noticiar mentiras ao meu respeito, ofender, menosprezar e propagar todo o seu odio.

 

Não deixaremos impune tais atos, trata se de um desrespeito absurdo, vergonhoso. Fica evidente que esse cidadão @marcaoapresentadortv não possui nenhum pudor ou constrangimento em ofender alguém em rede nacional.

 

Como já foi dito por Paulo Autran, “todo preconceito é feito da ignorância”, visto que os racistas não possuem um conhecimento de moralidade, tratando sua própria cor de pele como superior e única.

Isso tem que ser combatido e farei a minha parte, quantas vezes for necessário."

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Fernando
Fernando - 19 de Janeiro às 06:02
Apaguei duas vezes o que estava teclando para tentar terminar esse comentário. Racismo, além de ser configurado já faz tempo como crime, é hediondo porque faz discriminação contra pessoas, indiferente do que fizeram ou deixaram de fazer. É unicamente por sua cor. Ignorância, sim. Mas o que sinto nisso, é um misto de mal caratismo com falta de amor ao próximo, falta de respeito com as diferenças. E estudar tanto não fez diferença para esse cidadão...Fato, estudo e educação sempre serão coisas distintas. Gente com muito estudo, e nenhuma educação. Estudo pode ser conquistado; Já a educação, ou você tem, ou não tem.
 
Walter
Walter - 18 de Janeiro às 12:19
É um absurdo acontecer essse tipo de coisa ainda hoje...pior...propagada por um "pseudo" jornalista. Ludmilla não merecia. Total apoio! #processaludmilla
 
edvaldo
edvaldo - 18 de Janeiro às 12:07
Uma mulher lindíssima como ela não deve deixar barato mesmo. Esse lance de cor, raça, não tem nada a ver. Sou branco e acho ela linda demais, assim como todas as negras.
 
DANIEL
DANIEL - 19 de Janeiro às 17:59
mesmo que fosse feia!
 
jonas
jonas - 18 de Janeiro às 11:51
Lamentável esse comentário do apresentador da record DF, discriminação racial é crime e tem de ser combatido e denunciado, a justiça tem de reagir, e a tv record também.
 
isidoro
isidoro - 18 de Janeiro às 08:56
Esses repórteres de telejornais sensacionalistas, mas de baixa qualidade profissional tem que aprender que não é porque está fazendo um programa popular pode falar numa linguagem que entenda que ser popular. Agora, tanto o repórter, quanto à emissora devem ser acionados.
 
Andre
Andre - 18 de Janeiro às 07:45
A Record errou feio ao contratar esse indivíduo. Detestável.
 
Maria
Maria - 18 de Janeiro às 00:29
Detesto esse apresentador, depois que o Henrique Chaves saiu do horário, não perco meu tempo com esse cara, só quer ser o tal, aff, tem que fazer BO mesmo.
 
Jose
Jose - 18 de Janeiro às 00:26
que ela canta nada isso e normal..mas preconceito,criticas racistas não serão toleradas..
 
Lázaro
Lázaro - 17 de Janeiro às 23:18
Tem que pegar pesado. Macaco é ele, que ficou de macaquice ao invés de se preparar para a atividade de apresentador. Esses programas pobres e sensacionalistas não tem qualidade e aqueles que aí atuam acham que podem falar todo tipo de besteira, mas não podem. Que responda pelo crime que cometeu.