SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Australiana acusada por injúria racial deve receber tratamento psiquiátrico

A denunciada ofendeu profissionais em salão de beleza, em 2014. Essa foi a segunda vez que a mulher respondeu pelo mesmo crime

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/10/2016 18:44 / atualizado em 26/10/2016 20:44

Alessandra Modzeleski - Especial para o Correio

Amaro Júnior/CB/D.A Press
A australiana Louise Stephanie Garcia Gaunt foi sentenciada pela 5ª Vara de Brasília ao cumprimento tratamento psiquiátrico, pela prática de crime de racismo. Em 2014, ela ofendeu profissionais negras de um salão de beleza e foi denunciada pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

 

Leia mais notícias de Cidades

 

Na ocasião, Louise se recusou a ser atendida por uma funcionária negra e a justificativa foi exatamente à cor da vítima. “Pessoas da sua cor me incomodam” e “só quero que as pessoas da sua cor não me dirijam a palavra”, disse, à época.

A juíza reconheceu que a mulher cometeu o crime de injúria racial e agiu com superioridade, de acordo com a sentença. A medida será aplicada por prazo indeterminado, com avaliações periódicas, até que seja verificada a cessação de periculosidade da sentenciada.

Primeiro caso

Essa é a segunda vez que a australiana responde por um processo dessa natureza. Em setembro, ela também recebeu absolvição imprópria, com aplicação de medida de segurança, em processo que respondia por injúria contra duas funcionárias da limpeza da Companhia Energética de Brasília (CEB), onde trabalha.
 
O fato ocorreu em junho de 2013, quando a denunciada ofendeu duas empregadas terceirizadas, ambas negras, responsáveis pela limpeza do local. Ao ser interrogada em sindicância, ela desdenhou da situação. “É uma faxineira e nem é da sua cor”. Ela disse também que “entende que errar é humano e ser preconceituoso também, o que pode fazer se é estrangeira”. Ela justificou o comportamento alegando que “foi criada em ambiente estrangeiro e nunca teve relação com pessoas de cor escura”.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Bill
Bill - 27 de Outubro às 08:32
A Senhora lixo mora no Brasil e ainda se acha no direito de ofender a raça negra e se acha superior, manda essa m. pra fora do nosso país.
 
lenita
lenita - 27 de Outubro às 08:18
kkkkk!! GENTE , SEMPRE DIGO QUE ESSES CASOS DE RACISMO ACABA RAPIDINHO COM UMA BOLACHADA BEM DADA NA CARA DO RACISTA, DE PREFERÊNCIA COM A MÃO SUJA DE CARVÃO!! SÓ ISSO!! NO MEU PAÍS QUEM MANDA SOU EU!!!

publicidade