Besouros podem ter causado queda de árvore na Praça do Relógio

Inseto veio da Amazônia e se alimenta de mongubas, planta também amazônica. Duas idosas ficaram feridas e foram levadas ao HRT com dores e escoriações

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/10/2017 17:27 / atualizado em 11/10/2017 17:41

Divulgação/CBM
A queda de uma árvore na Praça do Relógio, na manhã desta quarta-feira (11/10), levantou discussão sobre o plantio de espécies de outras regiões onde o cerrado deveria imperar. De acordo com a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), um besouro de cerca de 15 centímetros de comprimento pode ter causado o acidente, que deixou duas idosas feridas. A larva do inseto come a parte interna do tronco da monguba, espécie típica da Amazônia à qual pertencia a planta que caiu nesta manhã.


O besouro chama a atenção pela cor metálica e brilhante das asas. Ele pertence à espécie Euchroma gigantea, típica de florestas tropicais da América do Sul. Segundo o professor Antônio José Camillo de Aguiar, do Departamento de Zoologia da Universidade de Brasília (UnB), o inseto se instalou no Distrito Federal por causa da monguba. “Agora, é difícil de saber se ele chegou com madeira com as larvas, de caminhão, voando ou de outra forma”, analisa.

Como as larvas do inseto se alimentam da parte interna da monguba, a planta que caiu em Taguatinga tinha aparência saudável, explicou a Novacap, em nota. De acordo com a companhia, funcionários cortaram 3.761 árvores com risco de queda no Distrito Federal. Em 2016, o total de cortes chegou a cerca de 5 mil.

Não é a primeira vez que o bicho, por vezes confundido com uma barata, causa transtornos no DF. Em 2010, o inseto obrigou a Novacap a cortar mongubas plantadas na 216 Norte, o que gerou protestos de moradores.

Para evitar riscos, Aguiar defende a preferência ao plantio de plantas nativas do cerrado nos canteiros do DF. “As pessoas plantam a monguba porque ela cresce rápido, mas acabou se transformando em uma espécie não ideal por causa do besouro”, aponta o biólogo. Por depender somente da árvore amazônica, o inseto não oferece riscos aos outros vegetais.
 
Reprodução/Whatsapp

Acidente

Duas idosas ficaram feridas com a queda de uma monguba por volta das 11h46 desta quinta-feira. A árvore caiu sobre uma feirinha de artesanato na região da Praça do Relógio, no centro de Taguatinga, onde ambas trabalhavam como artesãs. Equipes do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) se deslocaram ao local para prestar socorro. As duas vítimas foram encaminhadas ao Hospital Regional de Taguatinga (HRT) com escoriações e dores pelo corpo.

Funcionários da Administração Regional de Taguatinga e da Novacap também compareceram ao local do acidente para verificar a necessidade do corte de outras árvores. De acordo com relatos de leitores do Correio, que enviaram fotos via WhatsApp, o besouro da monguba infesta as plantas da Praça do Relógio.

A Novacap pede ao brasiliense para que solicite vistoria de poda na Administração Regional ou pelo telefone 162, da ouvidoria do Governo do Distrito Federal. A companhia explica que as vistorias demoraram entre uma a duas semanas, e as podas são feitas em ordem de urgência, como quando há risco de queda. Para cortes próximos à rede elétrica, a responsibilidade é da Companhia Energética de Brasília.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.