Publicidade

Correio Braziliense

Uma semana depois de agressões do namorado, Jane Cherubim recebe alta

De acordo com o advogado da vítima, Bruno Gaspar, 'ela está melhorando a cada dia que passa'. Suspeito continua foragido


postado em 11/03/2019 12:34 / atualizado em 11/03/2019 12:34

vendedora Jane Cherubim(foto: Reprodução/ TV Gazeta)
vendedora Jane Cherubim (foto: Reprodução/ TV Gazeta)

Uma semana depois de ter sido espancada e abandonada no meio de uma estrada, em Dores do Rio Preto (ES), a vendedora Jane Cherubim, de 36 anos, recebeu alta do hospital de Carangola (MG), neste domingo (10/3). De acordo com o advogado da vítima, Bruno Gaspar, "ela está melhorando a cada dia que passa". Em rápida conversa com o Correio, ele não deu muitos detalhes do estado de saúde dela.

Já a Polícia Civil do Espírito Santo informou que, até o momento, o suspeito Jonas Guimarães Amaral Neto, 34 anos, ainda não foi detido. O caso segue sob investigação da Delegacia Regional de Alegre, com apoio da Polícia mineira, já que o acusado residia em Espera Feliz (MG). Buscas estão sendo realizadas no Espírito Santo e em Minas Gerais.

A polícia pede a colaboração da população e qualquer contribuição pode ser feita por meio do Disque-Denúncia (181) ou pelo disquedenuncia181.es.gov.br, onde é possível a pessoa anexar imagens e vídeos de ações criminosas. O sigilo e anonimato são garantidos, diz a corporação.

Entenda o caso


Jane e o namorado trabalharam em um bar do irmão dela, no Espírito Santo. Após o expediente na madrugada da segunda-feira (4/2), por volta das 3h, o casal saiu do estabelecimento em um carro com destino a Espera Feliz (MG), onde moravam.

No entanto, o irmão contou que o companheiro da vítima tomou um rumo oposto ao de costume. O irmão da vítima, então, estranhou e ligou para Jane, mas não obeteve respostas. Ele telefonou, em seguida, para Amaral e, após várias tentativas, o namorado atendeu o telefone e disse que deixou a vítima em casa e que estava tudo bem. 

O advogado afirmou ainda que o irmão desconfiou que algo aconteceu à irmã e se dirigiu até a casa dela. No local, não a encontrou, mas só o filho de 12 anos de Jane. Então, ele seguiu para casa de Amaral e lá diz que ouviu uma conversa do pai do acusado com o filho pedindo para ele não fazer uma besteira.

Após ouvir a conversa, ele pediu ajuda a outro irmão da vítima para procurar por Jane nas redondezas das estradas que ligam as duas regiões. Foi quando encontraram a vítima com sinais de tortura.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade