Brasil

Entenda o ciclone bomba que atua no Sul e terá reflexos em outras regiões

Sistema que atinge Santa Catarina e Rio Grande do Sul terá efeitos principalmente em cidades litorâneas

Rodrigo Salgado */ Estado de Minas
postado em 01/07/2020 11:24
Ciclone causou grandes estragos na região Sul do Brasil, principalmente em Santa CatarinaOutros estados do Brasil poderão sofrer efeito do ciclone bomba ao longo desta semana, alerta comunicado oficial da Marinha do Brasil. Os ventos no litoral poderão chegar a 115 km/h. O sistema meteorológico atingiu a Região Sul do Brasil nessa terça (30) e causou grandes estragos.

Não haverá registros de ventanias tão intensas nas cidades como ocorreu nessa terça (30). Apesar disso, a agitação marítima será forte em toda a faixa litorânea entre o Rio Grande do Sul e a Bahia, ao sul de Caravelas, provocando ondas fortes principalmente em alto mar.

A tendência é que o ciclone continue atuando na costa brasileira até a próxima sexta (3), mas cada vez com menos intensidade, uma vez que está se deslocando no oceano em direção à África.


Efeito nas cidades


O meteorologista Mamedes Luiz Melo, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), afirma que a população das cidades litorâneas sentirá fortes ventos, mas nada comparado ao que aconteceu na terça.

"Como o ciclone está se deslocando para a África, o principal impacto será no alto mar. É preocupante para embarcações e navios, mas para a população não tanto. Veremos fortes ventanias, mas sem grandes chances de estragos", explica.

Os ventos mais fortes serão sentidos principalmente nas cidades do litoral da região Sul do Brasil, mas também, de alguma maneira, em São Paulo e no Rio de Janeiro. A tendência é de enfraquecimento ao longo da semana.

Frente Fria


Uma frente fria acoplada ao ciclone seguirá atuando Brasil afora e poderá causar ventanias e chuvas, mas dentro da normalidade.

"A frente fria vai seguir atuando e, inclusive, adentrar ao território brasileiro, causando ventos e nebulosidade até em Minas Gerais, no Sul e na Zona da Mata, mas tudo dentro da normalidade", comenta o meteorologista.

Entenda

O ciclone é composto por uma área de baixa pressão, começou a se formar no Norte da Argentina e está se deslocando em direção ao Leste. A área de baixa pressão está cruzando Santa Catarina e do Rio Grande do Sul e deve ganhar forma de ciclone sobre o oceano, no litoral gaúcho.

De acordo com a Celesc, equipes estão em campo nesse momento, atuando nas áreas atingidas.

A orientação é para a população permanecer em local seguro e relatar as ocorrências para a Defesa Civil (199) e Corpo de Bombeiros (193).

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação