Publicidade

Correio Braziliense

IML libera corpos de casal atropelado no Lago Norte

No momento, Polícia Civil aguarda a família das vítimas. Evaldo Augusto da Silva e Dulcineia Rosalino da Silva morreram após colisão na última quinta-feira


postado em 20/01/2018 12:50 / atualizado em 20/01/2018 15:54

(foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)
 
 
Três dias depois do atropelamento de Evaldo Augusto da Silva, 75 anos, e Dulcineia Rosalino da Silva, 72 anos, no Lago Norte, o Instituto de Medicina Legal (IML) liberou os corpos das vítimas, no fim da manhã deste sábado (20/1) para o velório e o sepultamento. A família buscou os corpos no início da tarde. 
 
Até a última atualização desta matéria, ainda não se sabia quando a cerimônia seria realizada. Na sexta-feira, uma missa foi realizada na igreja do Lago Norte em homenagem ao casal.
 
 
O casal morreu após ser atropelado por Luciana Pupe Vieira, 46 anos, na pista central do bairro, na altura da QI 10. O acidente ocorreu às 19h40 de quinta-feira (18/1). Pelas imagens de uma câmera de segurança, é possível ver o casal caminhando pelo acostamento da via e o momento em que o carro de Luciana aparece em alta velocidade. Outro casal consegue desviar do veículo. 
 
Durante coletiva à imprensa na sexta-feira (19/1), a delegada-chefe da 9ª Delegacia de Polícia (Lago Norte), Mônica Ferreira, informou que a motorista será indiciada por homicídio com dolo eventual, quando não há intenção de matar, mas assume o risco de acidentes. 
 
Ver galeria . 13 Fotos Luis Nova/CB/D.A Press
(foto: Luis Nova/CB/D.A Press )
 

 
Investigações 

 
A Polícia Civil investiga a possibilidade de Luciana ter sofrido um mal súbito e se estava, no momento da colisão, sob o efeito de substâncias. Contudo, a informação será esclarecida após perícia, que deve ser finalizada em até 30 dias. Luciana está internada em coma induzido em um hospital particular. O estado de saúde da mulher ainda é considerado gravíssimo.
 
Com o impacto, o velocímetro do veículo travou em 120 km/h , de acordo com informações do Corpo de Bombeiros. A velocidade máxima permitida é, há dois meses, de 60 km/h. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade