Publicidade

Correio Braziliense

Governador espera fim do racionamento de água no DF até dezembro

Rollemberg condicionou o fim do racionamento à conclusão das obras de Corumbá IV. Volume de chuvas acelerou recuperação dos reservatórios


postado em 03/03/2018 14:36

Descoberto atingiu, ainda em fevereiro, o valor previsto apenas para maio(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
Descoberto atingiu, ainda em fevereiro, o valor previsto apenas para maio (foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
 
O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) anunciou, neste sábado (3/3), o fim do racionamento de água no DF até dezembro. O socialista condicionou a suspensão da medida à finalização das obras de Corumbá IV. "Até o fim do ano, vamos inaugurar a maior obra de captação e tratamento de água do Brasil em parceria com o estado de Goiás, o que nos permite dizer que ainda este ano teremos condições de acabar com o racionamento de água do Distrito Federal", declarou durante discurso no Congresso Nacional do PSB, no Centro Internacional de Convenções do Brasil.
 
Além da obra de Corumbá IV, o volume de chuvas melhorou o cenário de escassez de água na capital. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o Distrito Federal teve o fevereiro mais chuvoso da década. No último mês o órgão registrou 272 milímetros acumulados de chuva nos últimos, cerca de 25% a mais dos 217,5mm previstos para o período.
 
"Tivemos três anos com o volume de chuvas abaixo da média história, e há 20 anos não havia investimentos em abastecimento de água no DF", afirmou.
 

Reservatórios abrem março em alta 


As chuvas dos últimos meses e o esforço da população em reduzir os gastos com água ajudaram os reservatórios a recuperar o volume perdido com a crise hídrica. O nível da barragem do Descoberto fechou fevereiro em 56,3%, 6,3 pontos percentuais acima do que era previsto para ser alcançado em maio
 
O caso do Santa Maria é um pouco mais delicado. O reservatório atingiu no último dia de fevereiro 41,9% da capacidade, número 5,9 pontos acima da referência para o período. O volume é inferior aos 46,7% marcados em 28 de fevereiro do ano passado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade