Publicidade

Correio Braziliense

Estoque de soro fisiológico em hospitais públicos está ameaçado

A transportadora informou que não conseguiria trazer o material na manhã desta terça-feira. O produto será transportado por aviões da FAB


postado em 29/05/2018 15:44 / atualizado em 29/05/2018 20:08

(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
O Governo do Distrito Federal fez 314 escoltas de caminhões na segunda-feira (28/5) por conta da greve dos caminhoneiros. A demanda mais urgente, agora, é de soro fisiológico para os hospitais. O produto virá de São Paulo, transportado por caminhões. Chegou a ser cogitada a opção de pedir apoio à Força Aérea Brasileira (FAB), para que o transporte fosse feito de avião, mas essa possibilidade acabou descartada.
 
Segundo a Secretaria de Saúde, a empresa responsável por fornecer o insumo conseguiu uma transportadora para trazer o soro fisiológico, sob escolta do Exército. "A opção pelo meio terrestre teve como objetivo evitar o alto custo com o transporte aéreo, já que a rede ainda dispõe de soro nas unidades de saúde", informou a pasta, em nota.

As informações foram divulgadas durante a visita do governador Rodrigo Rollemberg ao gabinete de crise, no Centro Integrado de Operações de Brasília, no complexo da Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social. Durante o evento, autoridades apresentaram uma planilha com demandas variadas da cidade, todas de segunda-feira, e disseram que não mostrariam a desta terça (29) por motivos de segurança.
 
“Já temos estoque para o Aeroporto de Brasília para dois dias, tivemos um momento em que o estoque esteve pequeno, com o cancelamento de muitos voos. Temos a vinda de álcool para fazer a mistura com a gasolina, para garantir a oferta de combustível para os diversos postos do DF, e temos uma preocupação com a ração animal. Temos muitas granjas, são 10 milhões de aves confinadas e, também, a vinda de insumos e produtos para os hospitais”, afirmou o governador. 

“Acionamos, várias vezes, as equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para nos ajudar e tenho que destacar que a colaboração da PRF, Força Nacional e Exército tem sido fundamental para garantirmos a segurança e o abastecimento da população de Brasília”, completou Rollemberg.

O secretário da Secretaria de Segurança, Cristiano Barbosa Sampaio, comentou o funcionamento do gabinete de acompanhamento. “Desde que iniciamos os trabalhos, temos representação permanente das forças de segurança do DF, a presença, ainda, do DER e Defesa Civil e, desde um primeiro momento, o apoio incondicional que o Governo Federal tem dado com a presença do Exército Ministério da Defesa e Secretaria Nacional de Segurança Pública”, explicou Cristiano Barbosa.

“Recebemos demandas de vários pontos, todas lançadas em um painel de acompanhamento, e, cada demanda que chega, registramos e começamos a fazer um acompanhamento. São as demandas extraordinárias, e não incluímos a de combustível, que tem sido feita pela Polícia Militar. Ontem, ultrapassamos 300 escoltas contando as da PM, e todas as outras com apoio das Forças Armadas, Força Nacional e PRF. Esse é o fluxo. Articulamos com os representantes do setor e fazemos a escolta”, acrescentou o secretário. 

Além das forças de segurança locais e federais, o secretário de Agricultura, Argileu Martins tem recebido e articulado as demandas do setor produtivo. “Agora que estamos recebendo mais demandas de saúde, teremos, também, um representante da pasta. A prioridade número 1 é trazer para Brasília soro fisiológico. Surgiu hoje pela manhã. A transportadora informou que não conseguiria cumprir. Está vindo de São Paulo. Pedimos apoio do Exército para fazer esse deslocamento, e estamos discutindo se será um carregamento das Forças Armadas, se virá de aeronave, ou uma operação articulada com PRF e Forças Armadas”, concluiu o secretário.

 
Veja as novas medidas definidas pelo GDF para combater a crise:

1. Priorizar as ações que garantam a chegada de soro fisiológico para a rede hospitalar pública de saúde, que consume 2.500 frascos/dia. Ficou acertado que o material será transportado de São Paulo por um Hércules do Exército Brasileiro, com previsão de chegada para essa quarta-feira, 30.

2. Dar continuidade ao atendimento nas unidades básicas de saúde, nos ambulatórios, nas urgências e nas emergências dos hospitais da rede pública. As cirurgias eletivas só ocorrem no Instituto Hospital de Base. O Comitê de Crise do Governo de Brasília também apoiorá a rede hospitalar privada, que precisa de material de consumo.

3. Priorizar o escoltamento de caminhões-tanque de álcool anídrico para suprir a necessidade de ele ser misturado à gasolina. Até amanhã, cerca de 80 caminhões-tanque chegarão a Brasília, garantindo a normalidade do abastecimento de combustível dentro das atuais circunstâncias.

4. Garantir o abastecimento do Aeroporto Juscelino Kubitscheck, com a chegada de querosene de aviação transportado pelo Exército e pela Força Nacional de Segurança Pública, com o apoio da Polícia Militar do Distrito Federal. A reserva de combustível no terminal é de cerca de 70%.

5. O Procon realizou 41 fiscalizações em postos de distribuição de gás de cozinha, autuando quatro pela prática de preços abusivos.

6. Ao todo, a Polícia Militar do DF já realizou 744 escoltas dos mais diversos veículos e produtos, superando a marca de 1.000 escoltas, já somadas às 336 realizadas pelo Exército, pela Polícia Rodoviária Federal e a Força Nacional de Segurança Pública.

7. Ao todo, até as 15 horas de hoje, foram 1.180 escoltas de todas as forças nacionais e distritais, coordenadas pelo Comitê de Crise do Governo do Distrito Federal.

8. O metrô continuará expandindo o atendimento em mais uma hora no momento de pico, de manhã e à noite. No feriado de Corpus Christi, na quinta-feira, 31, o metrô funcionará das 7 horas às 21 horas, para atender as pessoas que participarão da solenidade na Esplanada dos Ministérios.

9. O retorno à aula na rede pública de ensino alcançou seu objetivo de normalidade, em que pese o absenteísmo de alunos em Planaltina e na área rural. No Plano Piloto, a frequência foi elevada.

10. Prosseguimento da coleta do lixo regular e da seletiva.

11. O sistema de transporte coletivo continua operando em sua plena capacidade, garantindo combustível pelo menos até a próxima sexta-feira. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade