Publicidade

Correio Braziliense

Conheça seis distritais que representam pluralidade de ideias e formações

A próxima legislatura da Câmara Legislativa terá 16 novos deputados e representantes de 18 partidos, reforçando a diversidade de ideias, formação e áreas de atuação. Hoje, o Correio encerra a apresentação da Casa com mais seis distritais


postado em 13/10/2018 07:00 / atualizado em 12/10/2018 23:27

Os parlamentares eleitos em 7 de outubro tomarão posse no Legislativo local em 1º de janeiro de 2019
Os parlamentares eleitos em 7 de outubro tomarão posse no Legislativo local em 1º de janeiro de 2019


Diversidade é a palavra mais usada pelos deputados distritais recém-eleitos para explicar a composição da Câmara Legislativa na próxima legislatura. Com 16 novos nomes e representantes de 18 partidos, o Legislativo local terá oito parlamentares com passagens pelas forças de segurança. Há, ainda, seis educadores, três empresários e dois pastores.

 

Nos currículos, há formações em medicina, direito, administração, letras e ciência política. Mas há também quem não tem o ensino fundamental completo. Saúde, educação e segurança aparecem entre as propostas, mas a maioria dos próximos integrantes da Casa elegeram a geração de emprego como principal bandeira. O Correio Braziliense apresenta hoje o perfil dos últimos seis parlamentares que representarão a população na Câmara Legislativa a partir de 1º de janeiro de 2019.


(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press - 15/1/18)
(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press - 15/1/18)


Agaciel Maia (PR) 
Total de votos:
 17.715
Onde recebeu mais votos: Planaltina, com 2.538 ou 14,3% do total

Líder do governo de Rodrigo Rollemberg (PSB) na Câmara Legislativa, Agaciel Maia foi reeleito para o terceiro mandato como distrital. Formado em economia, é servidor de carreira e ex-diretor do Senado Federal. Entre as principais bandeiras está o incentivo para jovens nos estudos e experiências profissionais.

 

Agaciel atuou como funcionário do Senado Federal desde 1977, onde começou como datilógrafo e depois foi alçado ao cargo administrativo mais alto da casa, de diretor-geral, em 1995, pelo então presidente do Senado, José Sarney.

 

“Sou autor de 54 leis já sancionadas, 8 mil empregos gerados pelo Programa Brasília + Jovem Candango, economia de R$ 1 milhão pela não utilização da verba indenizatória e recursos enviados para saúde, educação e transporte”, destaca o parlamentar em postagens nas redes sociais, em que ele cita também que destinou R$ 6 milhões em emendas para escolas públicas do Distrito Federal e diz que a educação será uma das prioridades do próximo mandato.

 

O Correio tenta contato com Agaciel Maia por telefone e por meio da assessoria de imprensa desde a última segunda-feira, mas o parlamentar estava viajando e não retornou até o fechamento desta edição.


(foto: Reprodução/Facebook)
(foto: Reprodução/Facebook)


Eduardo Pedrosa (PTC) 
Total de votos: 
12.806
Onde recebeu mais votos: Arapoanga, em Planaltina, com 1.600 ou 12,4% do total

Estreante na Câmara Legislativa, o empresário do ramo de segurança e infraestrutura Eduardo Pedrosa (PTC), 28 anos, pretende atuar no incentivo à geração de emprego. “O pai de família precisa ter condições de sustentar a família. O pessoal não quer o peixe, quer aprender a pescar”, afirma. O sobrinho de Eliana Pedrosa (Pros), que disputou o GDF no primeiro turno, estará no grupo dos parlamentares com inclinação para discutir economia. Ele é formado em administração e abriu a primeira empresa aos 17 anos; por isso, será mais um dos que levantarão a bandeira do empreendedorismo.

 

Um dos principais projetos de lei que Eduardo deve submeter à Câmara Legislativa será em relação ao jovem no mercado de trabalho. “O jovem busca o primeiro emprego, mas ouve da empresa que é preciso ter experiência. Quando ele não consegue trabalho e fica sem renda, há muitas chances de ele ir para o caminho errado”, explica. Pedrosa quer dar incentivo fiscal para as empresas que contratarem pessoas dessa faixa etária e sem experiência.

 

Após apoiar a tia Eliana Pedrosa para a chefia do Palácio do Buriti, Eduardo ainda não decidiu se estará do lado de Rodrigo Rollemberg (PSB) ou de Ibaneis Rocha (MDB) no segundo turno. “Estou aguardando a decisão do partido e, particularmente, também não decidi. Mas creio que serão anos melhores para o Distrito Federal”, avalia.


(foto: Reprodução/Facebook)
(foto: Reprodução/Facebook)


Hermeto (PHS)
Total de votos: 
11.552
Onde recebeu mais votos: Núcleo Bandeirante, Candangolândia e Riacho Fundo 1 e 2, com 4.313 ou 37,3% do total

O policial militar Hermeto atuou por oito anos como administrador da Candangolândia. Durante o governo de Rodrigo Rollemberg, voltou para a corporação. “Quando eu era administrador, colocava o meu celular no mural para a população ligar”, conta Hermeto.

 

Para ele, Candangolândia ficou abandonada nos últimos anos e, agora, cobra reformas de infraestrutura, desde espaços públicos até postos de saúde. “Quero fazer isso não só na minha região, mas no DF inteiro”, complementa. Na segurança pública, defenderá investimentos em tecnologia, inteligência, pessoal e viaturas para a PM. “Qualquer aumento que a Polícia Civil receber, vou defender que a PM também receba”, alerta.

 

Estreante na Câmara Legislativa, Hermeto acredita que a população pede políticos que fiquem mais nas cidades e menos nos gabinetes. “O povo não quer mais do mesmo. O deputado tem de servi-lo e não se envolver em maracutaia. A gente não pode errar”, sustenta Hermeto, que pretende levar para a Casa o estilo como administrador.

 

Na disputa entre Rodrigo Rollemberg e Ibaneis Rocha para o Palácio do Buriti, Hermeto não tem apoio definido. Representante do PHS, que esteve na chapa de Eliana Pedrosa, Hermeto prefere avaliar o melhor candidato com a base política. “Vou conversar com a população e com a corporação para avaliar”, explica.




(foto: Reprodução/Facebook)
(foto: Reprodução/Facebook)


José Gomes (PSB)
Total de votos: 
16.537
Onde recebeu mais votos: Brazlândia e Ceilândia Norte, com 2.836 ou 17,1% do total

Novato na Câmara Legislativa, o empresário José Gomes comanda a Real JG Serviços Gerais, com mais de 10 mil postos de trabalho e cerca de 120 contratos entre o governo federal e local. Portanto, pretende levar a geração de emprego e o combate ao desemprego como principais bandeiras. “Sou gestor de uma grande empresa e formado em administração. Quero levar essa experiência dos últimos 10 anos e transformá-la em contribuição para o povo do DF. Logo nos primeiros meses do mandato, vou apresentar um projeto nesse sentido com detalhes”, afirma.


O futuro distrital avalia que a nova composição da Câmara Legislativa está de acordo com a Brasília vistas nas ruas. José Gomes acredita que terá bom diálogo com os colegas que quiserem melhorar Brasília. “Independentemente de partido, sou a favor do que for melhor para o DF”, ressalta.

 

O empresário apoia a reeleição de Rodrigo Rollemberg, mas afirma que, caso Ibaneis Rocha (MDB) ganhe a disputa ao Palácio do Buriti, atuará como um fiscal do povo. “Espero um diálogo franco e cordial. Agora, sou deputado e, como tal, sempre colocarei os anseios da sociedade em primeiro plano. Lutarei por políticas públicas que beneficiem o nosso povo”, diz.



(foto: Reprodução/Facebook)
(foto: Reprodução/Facebook)


Martins Machado (PRB)
Total de votos: 
29.457
Onde recebeu mais votos: Samambaia (exceto quadras 500 e QR 317), com 2.526 ou 8,6% do total

Candidato com o maior número de votos na disputa ao Legislativo local, Martins Machado é pastor da Igreja Universal. Contando com o apoio de fiéis, foi o campeão das urnas entre os concorrentes à Câmara pela segunda vez. “Vamos continuar o trabalho iniciado pelo PRB, que visa valorizar a família e os seus valores”, afirma Machado.

 

Entre as áreas de atenção dele estão o esporte, a educação e o cuidado ao idoso. “Mas, durante a nossa campanha, a saúde foi a área que detectamos como de maior insatisfação da população”, diz o futuro parlamentar. “Percorremos todo o Distrito Federal conhecendo os anseios e as necessidades da população. Os nossos projetos serão elaborados de forma eficaz para sanar os problemas detectados”, destaca o líder religioso, que, na nova configuração da Casa, pretende ter uma atuação mais independente. “Não prometi nada e me comprometi a realizar o meu papel de fiscalizador”, explica.

 

Na disputa do 2º turno, Martins Machado ainda não fechou uma posição em relação à disputa pelo Palácio do Buriti. “Conversamos com os candidatos e estamos decidindo quem apoiaremos e se apoiaremos”, diz o pastor.


(foto: Reprodução/Facebook)
(foto: Reprodução/Facebook)


Valdelino Barcelos (PP)
Total de votos: 
9.704
Onde recebeu mais votos: Arapoanga, em Planaltina, com 1.329 ou 13,6% do total

Um mandato focado na necessidade básica do povo é o objetivo de Valdelino Barcelos (PP) para os próximos quatro anos. Presidente da Cooperativa dos Caminhoneiros Autônomos de Cargas e Passageiros em Geral (Coopercam), o deputado distrital eleito nasceu em Ituiutaba, Minas Gerais, e não completou o ensino fundamental.

 

Apoiado pela Associação Comercial do Distrito Federal (ACDF), Valdelino deve ser um dos parlamentares a defender o setor produtivo. “Saúde, mobilidade urbana e geração de emprego e renda são as minhas bandeiras. Tenho projetos, o povo precisa de respostas rápidas”, ressalta.


Mesmo representante de um partido coligado com o MDB de Ibaneis Rocha, Valdelino adianta que vai “acompanhar a vontade do povo”, em relação ao futuro governador. Ele também comemora a renovação da Câmara Legislativa. “É preciso avançar com responsabilidade para fazer o melhor pelo DF”, reforça.

 

 

Confira o perfil dos outros distritais eleitos acessando as matérias: Saiba quem são os deputados reeleitos para a Câmara Legislativa do DFConheça seis distritais que defendem saúde, segurança e educação; e

Conheça seis dos novos nomes que vão compor a Câmara Legislativa do DF.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade