Publicidade

Correio Braziliense

'Vou fazer o possível para termos Justiça', diz tia de jovem assassinado

Milton Junio Rodrigues de Souza foi assassinado a facadas na Rodoviária do Plano. Dois moradores de rua suspeitos do crime continuam foragidos


postado em 16/01/2019 11:54 / atualizado em 16/01/2019 16:06

Patrícia descreve o sobrinho como
Patrícia descreve o sobrinho como "doce, amável e estudioso". (foto: Arquivo pessoal)
 

Mais de 24 horas após a morte de Milton Junio Rodrigues de Souza, 19 anos, ninguém foi preso. O estudante da Universidade de Brasília (UnB) foi assassinado a facadas na madrugada dessa terça-feira (15/1), na Rodoviária do Plano Piloto. Enquanto isso, a família do jovem pede respostas. “Vou fazer o possível para termos Justiça. A do homem e a divina”, frisou a tia do rapaz, a faxineira Patrícia da Conceição Souza, 41, em entrevista ao Correio.

Por volta das 11h desta quarta-feira (16/1), dezenas de pessoas compareceram à casa de Junio, como era chamado por todos, no Setor Leste do Gama. Amigos e familiares foram consolar os pais do estudante, que estavam muito abalados e preferiram não dar entrevista.

Patrícia descreve o sobrinho como "doce, amável e estudioso". Ela conta que o garoto era caseiro e que estava sempre cuidando dos pais. "Junio gostava de ficar em casa desde criança. Não foi menino de ficar na rua, só saía para ir à escola", disse.

Cursar ciência política em uma universidade federal fazia com que o jovem fosse o orgulho da família. "A UnB não é qualquer uma", conta a tia, com os olhos marejados, mas sem disfarçar a satisfação pela conquista do sobrinho.

Como hobbie, Patrícia reforçou que o sobrinho gostava mesmo era de estudar. Junio nasceu e cresceu no Gama. Ele estudou no Centro de Ensino Fundamental 3 e no Centro Educacional 6 da Região Administrativa. Durante os anos de escola, a tia garante que o sobrinho nunca recebeu nenhuma reclamação.

Sobre o crime, Patrícia diz que a história não está clara e pede resposta das forças de segurança. "Não consigo acreditar que a Rodoviária não tenha câmeras suficientes para registar o que aconteceu. Não recebemos nenhuma resposta. Tudo o que sabemos é por meio da imprensa e de redes sociais", lamentou.

Junio será velado às 12h desta quarta, no Cemitério Campo da Esperança do Gama. O sepultamento está previsto para ocorrer às 16h30.

Entenda o caso

O crime aconteceu por volta das 3h30, enquanto a vítima esperava o ônibus para voltar para casa. Ele tinha saído de uma festa na Asa Sul e estava acompanhado por dois amigos, Ary Martins, 21 anos, e Ícaro Carlos de Sousa, 19. Nesse momento, um morador de rua teria discutido com eles por conta de um isqueiro.

Em seguida, os jovens decidiram se afastar, mas foram perseguidos. Ary foi atrás de ajuda na unidade da PM da Rodoviária, enquanto Junio e Ícaro seguiram em direção ao banheiro, sob uma das escadas rolantes. Mas, antes de entrarem no cômodo, um dos suspeitos deu uma facada em Junio.

Com o rapaz no chão, os agressores levaram a carteira e o celular. PMs acionaram bombeiros para atender a vítima. Os socorristas chegaram em 20 minutos. Tentaram reanimar o jovem por 40 minutos, sem sucesso.

Investigadores da 5ª Delegacia de Polícia (Área Central) tratam o caso como latrocínio (roubo com morte). Eles tiveram acesso às imagens do circuito de segurança. O momento do crime não foi capturado pelas câmeras de segurança, mas os suspeitos aparecem discutindo com as vítimas e fugindo após matarem Junio.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade