Publicidade

Correio Braziliense

Irmã de criação de Rhuan Maycon vai para o Acre morar com o pai

A criança de 8 anos morava em um abrigo desde o crime. Ela estava na casa no momento em que o menino foi morto e esquartejado pela mãe e pela companheira dela


postado em 16/06/2019 20:58 / atualizado em 16/06/2019 21:04

Crime ocorreu em 31 de maio, na casa onde as duas crianças moravam com as assassinas, em Samambaia Norte(foto: Alexandre de Paula/CB/D.A Press)
Crime ocorreu em 31 de maio, na casa onde as duas crianças moravam com as assassinas, em Samambaia Norte (foto: Alexandre de Paula/CB/D.A Press)
A criança de 8 anos que foi criada com Rhuan Maycon, 9, assassinado e esquartejado pela mãe e pela companheira dela em Samambaia Norte, começou a escrever, no sábado (15/6), uma nova história ao lado do pai, um servidor público de 29 anos. Depois de um longo processo de reaproximação, a menina foi morar com o família paterna no Acre. A decisão foi tomada depois de ela própria pedir para ir com ele. 
 
Para o pai, a mudança representou uma grande vitória. Depois de cinco anos procurando pela pequena, ele vai finalmente conseguir reunir a família. "Infelizmente, aconteceu em meio a essa tragédia. Mas depois de todo o trabalho e apoio que consegui no Distrito Federal, minha filha aceitou vir comigo de novo. Depois de tudo o que ela passou, eu só quero dar todo o amor e carinho que ela merece", disse. 
 
A menina estava em um abrigo desde o crime, em 31 de maio. Assim que ficou sabendo do ocorrido, o servidor público veio para buscá-la, porém a criança não se sentia à vontade na presença de pessoas do sexo masculino. "Nós precisamos trabalhar a questão do vínculo afetivo dela com o pai. Além das visitas diárias, proporcionamos passeios externos”, explica a conselheira tutelar Cláudia Regina Carvalho. 
 
De acordo com Cláudia, a equipe percebeu que a menina já estava preparada para ir morar com o pai depois que ela mesma pediu para ir com ele. "Nós nos reunimos com a Defensoria Pública, psicólogos, Vara da Infância e Ministério Público, das duas unidades da Federação, e decidimos que já seria a hora, respeitando sempre a vontade da criança", destaca. 
 
Devido à mudança de endereço, a menina agora vai ser acompanhada por uma equipe do Acre, onde vai morar com o pai e a madrasta, que também vão ter assistência de profissionais do governo. "Ela vai ter uma companhia feminina. Segundo o pai, a mulher dele participou de toda a busca que ele fez. Ela já está por dentro de toda a situação. A menina finalmente vai ter uma família”, comemora a conselheira. "Esse será o início de uma nova página nas nossas vidas", complementa o pai. 

Crime bárbaro

Em 31 de maio, Rhuan Maycon foi vítima de um crime brutal em Samambaia Norte. O menino foi morto e esquartejado pela própria mãe, Rosana Auri da Silva Candido, 27, e pela companheira dela, Kacyla Priscyla Santiago Damasceno, 28. A menina de 9 anos é filha de Kacyla e estava na casa quando ocorreu o homicidio. Segundo as investigações, a menina foi levada pela mãe sem a permissão do pai.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade