Publicidade

Correio Braziliense

Cerca de 200 pessoas acampam em porta de mercado para vaga de emprego

Supermercado atacadista em Samambaia irá selecionar 170 funcionários. Currículos só começam a ser recebidos sexta-feira (21/6), mas desempregados se preparam para segunda noite na fila


postado em 20/06/2019 10:19 / atualizado em 20/06/2019 11:35

Pessoas chegaram na quarta-feira (19/6) para entregar currículo só na sexta (21/6)(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
Pessoas chegaram na quarta-feira (19/6) para entregar currículo só na sexta (21/6) (foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)


Cerca de 200 pessoas dormiram na rua à procura de uma vaga de emprego em um mercado em Samambaia. A empresa irá selecionar 170 funcionários a partir de sexta-feira (21/6), mas os candidatos começaram a fazer a fila já na quarta-feira (18/6) para garantir a participação no processo seletivo. Por volta das 10h40, o número de pessoas na frente do supermercado chegou a 200.

Uma fila de barracas se formou na QR 122. Iasmin Carolina, 29 anos, está desempregada há oito meses e foi uma das pessoas que dormiu na porta do atacado. "Cheguei às 21h de ontem (quarta-feira). Depois que fiquei sabendo das vagas, corri para cá. Trouxe café, água, papel higiênico, colchão... É triste, mas não tenho outra opção", contou.
 
Renata de Souza, 25, já passou pela mesma situação antes. "Não é a primeira vez que durmo em fila por vaga de emprego. Mas é algo que a gente não se acostuma, porque é muito triste dormir no chão, no frio. É uma humilhação que passamos", lamentou. Ela está desempregada há quase dois anos e diz querer qualquer vaga que surgir para poder pagar as contas. "Onde sei que tem vaga, vou." 
 
O mercado ainda passa por reformas, então quem aguarda na fila também encara poeira, faíscas de solda do teto, barro e muito sol pela manhã sem proteção de sombra. Na noite, o frio e a insegurança são as principais queixas dos candidatos às vagas. Uma pessoa chegou a ser detida pela polícia na madrugada desta quinta-feira (20/6), após causar transtornos urinando nas barracas. Ela estava sob efeito de álcool. 

Entrevistas só na segunda-feira

Segundo o gerente da unidade, Eduardo Petrotchelly, o mercado não tinha ideia de quantas pessoas fossem aparecer. "Agora estamos correndo com tudo para disponibilizar comida e água para as pessoas que estão na fila".
 
Eduardo disse que as entrevistas não serão feitas nesta semana, mas os primeiros currículos que agradarem serão selecionados para um encontro posterior, na segunda (24/6).

História se repete 

Em maio, 5 mil pessoas formaram uma fila para conseguir uma vaga de emprego em um supermercado que inaugurou em Valparaíso (GO), entorno do Distrito Federal. O Supermercado Vivendas fica no Parque Marajó, entre Valparaíso e Cidade Ocidental, ambos municípios goianos.  Os responsáveis pelo estabelecimento fizeram o anúncio nas redes sociais. 
 
Em março, uma fila de mais de 1 quilômetro se formou em frente a uma construção da nova unidade de uma rede de restaurantes, em Planaltina. Cerca de 2,5 mil pessoas aguardavam para entregar o currículo. Candidatos começaram a chegar à meia noite no local e dormiram na fila. O anúncio feito pelo novo empreendimento informava que 100 vagas de emprego seriam abertas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade