Publicidade

Correio Braziliense

Dois crimes de feminicídio no DF são julgados nesta quinta-feira

Vão a julgamento Jonas Zandoná, acusado de jogar a mulher pela janela, na 415 Sul, no ano passado, e Stefanno Amorim, que esfaqueou a servidora Janaína Romão Lucio, em Santa Maria


postado em 22/08/2019 14:00 / atualizado em 22/08/2019 17:03

Feminicídio de servidora do Ministério dos Direitos Humanos motivou manifestações e homenagens no órgão(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
Feminicídio de servidora do Ministério dos Direitos Humanos motivou manifestações e homenagens no órgão (foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
O Tribunal de Júri do Distrito Federal e Territórios julga nesta quinta-feira (22/8) dois réus acusados de feminicídio. As sessões acontecem o fórum de Brasília e de Santa Maria, e tiveram início pela manhã, mas só devem terminar no final da tarde. Os réus são Jonas Zandoná, 45 anos, e Stefanno Jesus Souza de Amorim, 22. 

O primeiro é acusado do assassinato de Carla Grazielle Rodrigues Zandoná, 37, que era sua esposa, em agosto de 2018. Jonas teria jogado Carla da janela do terceiro andar do prédio onde eles moravam, na 415 Sul. Graziele havia denunciado o homem duas vezes à polícia. Testemunhas informaram que as brigas entre os dois eram frequentes, com agressões físicas, injúrias e ameaças recíprocas.  

O crime de Stefanno aconteceu em julho de 2018, em Santa Maria. Ele matou com cinco facadas a servidora do Ministério dos Direitos Humanos, Janaína Romão Lucio, 30. O homem ficou foragido por três dias, mas foi capturado após uma denúncia anônima e confessou o crime. Stefanno ainda entregou uma carta para a polícia de 10 páginas, que foi anexada ao inquérito. 

No texto, Stefanno contava como conheceu a vítima, a duração do relacionamento e que matou a ex-mulher por ciúmes. Os dois estavam separados desde o ano passado. "Perguntei porque ela tava (sic) maquiada e bem arrumada, sendo que ela não era disso. Bebendo, toda arrumada, maquiada tá estranha (sic). Bora, Jana, abre o jogo", escreveu ele, em alusão ao que teria acontecido minutos antes de esfaquear Janaína.

Os julgamentos acontecem durante a XIV Semana Justiça pela Paz em Casa, do TJDFT, que concentra esforço para alcançar o maior número possível de audiências e prolação de sentenças de casos relativas à violência contra a mulher.

A violência doméstica foi o tema da série Elas no Alvo, que conta a história de vítimas de agressões e feminicídios. O especial traz dicas de como reconhecer um relacionamento abusivo e onde buscar ajuda.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade