Publicidade

Correio Braziliense

Motorista acusado de matar cinco em 2008 é julgado nesta terça-feira

Igor de Rezende Borges segue solto desde a época do crime. Segundo denúncia, ele dirigia alcoolizado e em ziguezague na rodovia, quando provocou a tragédia que marcou o DF


postado em 22/10/2019 15:32 / atualizado em 22/10/2019 17:11

Garrafa de vodka e destroços de veículos no local do acidente de trânsito(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Garrafa de vodka e destroços de veículos no local do acidente de trânsito (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
O Tribunal do Júri julga, nesta terça-feira (22/10), Igor de Rezende Borges, 36 anos, acusado de dirigir embriagado e matar cinco pessoas em um acidente de trânsito em abril de 2008, na DF-001. O analista de sistemas está solto desde o dia do crime, quando pagou fiança para recorrer em liberdade. O julgamento chegou a ser adiado por diversas ocasiões ao longo dos anos, mas teve início nesta manhã.

Segundo denúncia do Ministério Público, Igor conduzia um Peugeot a quase 100km/h, sob efeito de álcool, e realizava manobras perigosas, como a prática conhecida como roleta-russa, em que o carro invade a contramão até tirar da estrada o veículo que trafega no sentido contrário. Na ocasião, o acusado bateu de frente com um Vectra, matando quatro pessoas do carro atingido e um passageiro que estava com ele.

Segundo consta no processo, Igor de Rezende admitiu a ingestão de vodca antes de dirigir e uma garrafa vazia da bebida foi encontrada no local do acidente. No Instituto de Medicina Legal (IML), o exame também apontou resultado positivo para alcoolemia. Porém, segundo a defesa do analista, há um laudo que não detecta o consumo de álcool nele e existem provas de que o motorista do Vectra estaria dirigindo com maior teor alcóolico no corpo. 

A última audiência chegou a ser marcada para setembro do ano passado, no Fórum de Águas Claras, mas acabou cancelada após a defesa de Igor entrar com parecer técnico de um perito particular. O Ministério Público analisou os documentos e reconheceu que não teria tempo hábil para apreciar o texto, adiando a audiência. A família de Ingridh Martins, uma das vítimas do acidente, chegou a ir até o fórum para acompanhar a sessão, mas foi pega de surpresa com a notícia do cancelamento.  

Primo de Ingridh Martins, Ribamar Martins lamentou a falta de informações sobre o julgamento e disse que os familiares não foram comunicados sobre o julgamento desta terça-feira. "Ficamos sabendo por terceiros e estamos indignados porque a família não foi avisada pela Justiça. Estamos há 10 anos esperando, mas o advogado dele fez tudo para nos derrubar”, lamentou. O namorado de Ingridh prestou depoimento pela manhã. 
 
O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) informou que o julgamento de Igor de Rezende não tem previsão de término. "O réu estava respondendo ao processo em liberdade e foi intimado, pessoalmente, por meio do oficial de justiça, para a sessão de julgamento. As intimações são feitas para as partes, o MPDFT, os assistentes de acusação e os defensores. Quem comunica a família de algum andamento do processo é a própria parte/réu", comunicou.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade