Publicidade

Correio Braziliense

Em Brasília, pai é suspeito de sequestrar e matar o filho de 1 ano

Segundo a polícia, Paulo Roberto de Caldas Osório pegou o filho Bernardo, de 1 ano e 11 meses, na escola e fugiu. Ele foi preso na Bahia


postado em 04/12/2019 08:40 / atualizado em 04/12/2019 20:27

Delegado Leandro Ritt, da Divisão de Repressão ao Sequestro, está no comando das investigações(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Delegado Leandro Ritt, da Divisão de Repressão ao Sequestro, está no comando das investigações (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Um morador de Brasília foi preso sob suspeita de matar o filho de apenas 1 ano e 11 meses. Segundo a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), Paulo Roberto de Caldas Osório, 45 anos, foi detido na segunda-feira (2/12), em Alagoinhas (BA), para onde fugiu após o crime. 

Ele confessou o assassinato, mas, até a última atualização desta matéria, o corpo do garotinho, chamado Bernardo, não havia sido encontrado. A mãe da criança, a advogada Tatiana da Silva Marques, 30 anos, disse ainda ter um fio de esperança de encontrar o menino vivo.

Funcionário concursado do Metrô-DF, Paulo Roberto mora na 712 Sul e, segundo a polícia, pegou o filho na escola na última sexta-feira (29/11). Porém, em vez de agir como combinado e entregar a criança à mãe, desapareceu com o garotinho.

Ele só entrou em contato com a família da mãe de Bernardo no domingo (1º/12), afirmando que não o devolveria e que a polícia poderia ser acionada. 

Mensagem de celular

Uma amiga da família contou ao Correio que, em mensagem para a mãe do menino, Paulo Roberto teria avisado que, no que dependesse dele, ninguém veria mais o menino. O motivo seria uma disputa na Justiça pelo pagamento de pensão.

"Ele afirmou que a mãe e a avó entraram na Justiça para 'atrapalhar' a vida dele e que, por isso, se vingaria, como tinha avisado", relatou essa amiga, pedindo para não ter o nome revelado.

Mais tarde, o teor da mensagem foi divulgado. "Eu te avisei que se vc aprontasse na minha vida não ia ser a saia da sua mãe que ia te proteger. (...) Espero que agora entendam o que é ficar sem ele", escreveu. 

Condenado por matar a mãe

A Divisão de Repressão ao Sequestro (DRS), da PCDF, sob comando do delegado Leandro Ritt, iniciou as buscas no domingo, encontrando Paulo Roberto em Alagoinhas.

Na cidade baiana, ele disse ter, de fato, matado o menino. Em um vídeo, após a prisão, Paulo Roberto aparece confessando o crime. "Joguei o corpo no mato e saí", afirma.

Um vizinho contou ao Correio que Paulo Roberto aparentava ser um pai amoroso com Bernardo. O suspeito, no entanto, tem histórico de violência, já tendo cumprido pena por matar a própria mãe.

Nota do Metrô

Procurada, a Companhia do Metropolitano do DF (Metrô-DF) informa que Paulo Roberto Osório é empregado da empresa e não comentará o assunto, uma vez que os fatos narrados não se relacionam com suas atividades na Companhia. 
 
*Estagiária sob a orientação de Adriana Bernardes.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade