Publicidade

Correio Braziliense

Mulher é assassinada dentro de casa em Samambaia

O crime teria ocorrido na tarde desta terça-feira (14/1). A vítima foi assassinada a facadas. É o segundo homicídio de mulher na região administrativa no dia


postado em 14/01/2020 19:09 / atualizado em 14/01/2020 22:22

(foto: Adauto Cruz/CB/D.A Press)
(foto: Adauto Cruz/CB/D.A Press)
Uma mulher foi morta a facadas em uma rua da Quadra 307 de Samambaia Sul. A vítima foi identificada como Edna Maria de Sousa, 40 anos. O caso é investigado como feminicídio, conforme protocolo da Polícia Civil. É o segundo assassinato de mulher registrado nesta terça-feira (14/1). Pela manhã, a jovem Gabrielly Miranda, 18 anos, foi baleada na cabeça pelo maridoLeonardo Pereira, 32. 

 

Conforme informações preliminares da 32ª Delegacia de Polícia (Samambaia Sul), o suspeito do crime não havia sido identificado ou preso até o fechamento desta reportagem. Agentes estão no local para levantar informações acerca do assassinato e buscar possíveis testemunhas. 

 

Edna foi encontrada morta dentro do barraco onde morava, na quadra 307 de Samambaia Sul. Uma das filhas da vítima, Keiciane Timóteo, 20, informou ao Correio que a mãe havia terminado o relacionamento com o suspeito havia três meses. "Ela não chegou a me confessar de que ele a agredia, mas eu via. As ofensas e ameaças eram constantes", contou. 

 

A mulher morava sozinha no barraco e visitava, frequentemente, a residência das filhas na região administrativa. "Minha mãe dormia lá em casa direto. Acho que ela tinha medo de ficar sozinha. Estou em estado de choque e não consigo decifrar o que estou sentindo. É uma dor imensa", lamentou. 

 

Edna deixa seis filhos, quatro mulheres e dois homens. A dinâmica do crime está sendo investigado pela 32° DP. 

Roleta russa 

 

O outro homicídio também foi registrado em Samambaia. Leonardo acionou a Polícia Militar por volta das 5h, alegando ter matado a mulher, Gabrielly, após "brincar" de roleta russa. O caso ocorreu na Quadra 405. Ao ser preso e encaminhado à 26ª DP (Samambaia Norte), ele não mencionou o termo aos investigadores.

 

Segundo o delegado-adjunto Eduardo Escanhoela, o acusado alegou que a própria jovem teria pegado a arma de fogo e brincado. "Então, ela teria entregue o artefato para o companheiro, que disparou na cabeça dela. Mas ele afirma ter sido um acidente. Ainda estamos levantando informações sobre o histórico do relacionamento, mas não acreditamos nesta versão", afirma. 

 

Leonardo tem passagens por violência doméstica — cometida contra outra mulher —, porte ilegal de arma de fogo e furto. Ele foi encaminhado para o Departamento de Controle e Custódia de Presos (DCCP), onde aguarda a audiência de custódia. O juiz decidirá se ele responderá pelo feminicídio preso ou em liberdade. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade