Cidades

Ibaneis anuncia a instalação de um hospital na Penitenciária Feminina do DF

Durante visita à unidade de saúde da Papuda, o governador afirmou que planeja construir um hospital similar para as detentas

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 23/05/2020 17:11

Durante visita à unidade de saúde da Papuda, o governador afirmou que planeja construir um hospital similar para as detentas

Durante visita às obras do Hospital do Complexo Penitenciário da Papuda, realizada neste sábado (23/5), o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), anunciou a instalação de uma unidade de saúde similar na Penitenciária Feminina do DF.

"Vamos trazer dignidade, porque, uma hora, esse pessoal vai sair e eles têm que sair melhor do que entraram", pontuou. Apesar do anúncio, o chefe do Executivo local não deu detalhes sobre o projeto. O Correio questionou a Secretaria de Saúde (SES-DF) e aguarda um posicionamento.

Projetado para socorrer o elevado número de casos confirmados de covid-19 no Sistema Penitenciário do DF, o Hospital da Papuda será implementado em caráter definitivo. Ibaneis afirmou que esse será um dos legados da gestão.

"No início, a ideia era um Hospital de Campanha. Nos mudamos e estamos fazendo um hospital definitivo, que vai ficar aqui para atender não só aos detentos, como aqueles que trabalham aqui no dia a dia e que precisarem de algum atendimento médico", declarou o chefe do Executivo local. "Isso é uma cidade que tem mais de 15 mil pessoas e nós temos que dar atenção", complementou.

Investimento

Com investimentos em torno de R$ 5,9 milhões, a obra prevê cerca de mil metros de área construída, dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com equipamento para ventilação mecânica e outros 30 leitos de enfermaria com suporte.

Além de socorrer a demanda neste período de pandemia, a estrutura do Hospital no Complexo Penitenciário da Papuda também permitirá a separação de presos, da parte administrativa e demais fluxos de uma unidade de saúde.

As fundações das obras e da infraestrutura para a rede elétrica e cabeamento de dados foram concluídas, assim como a montagem dos módulos pré-fabricados ; semelhantes a contêineres, feitos de material resistente a fogo.

O projeto prevê sistema de isolamento térmico e acústico, além de uma rede de fibra óptica para se interligar ao sistema da SES, com suporte para as câmeras de vigilância.

Acompanhando o governador na visita, o subsecretário de Infraestrutura em Saúde, Isaque Albuquerque, explicou que alguns desafios precisam ser enfrentados para concluir a obra. "Primeiro é o prazo em face do cenário da pandemia dentro do complexo prisional que nos exigiu uma solução em um prazo muito curto. Segundo é o cuidado com materiais, com fluxos que não são exclusivamente da assistência clínica ao doente, mas que precisam ser compatibilizados com a equipe de segurança para evitar fugas e rebeliões. Então, o ambiente precisa estar preparado para uma assistência clínica ao doente e, ao mesmo tempo, reproduzir aspectos de segurançca de uma unidade prisional", detalhou.

A mudança de Hospital de Campanha para unidade definitiva foi uma decisão administrativa. Segundo o subsecretário, a escolha de materiais técnicos, sólidos e resistentes possibilitou a adaptação de maneira rápida. Sob gestão da SES, o modelo de contratação adotado, inicialmente, será o de gestão integrada de leitos prontos, como no Mané Garrincha e no Hospital da Polícia Militar.

Segurança

Na avaliação do secretário de segurança pública, Anderson Torres, a construção atende uma demanda antiga da população."Isso tem um impacto gigantesco na economia, no deslocamento de preso pela cidade, nas escoltas, nas viaturas. Apesar de ser um investimento, representa uma eocnomia muito grande para o Sistema Penitenciário e facilita nosso trabalho, dá mais segurança para a população, então, para nós, é só ganho", afirmou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação