Cidades

Polícia Civil investiga ameaça de morte a conselheiro tutelar de Ceilândia

Profissional diz que homem que o ameaçou é pai de bebê encontrado morto em hotel no começo do mês

Jaqueline Fonseca
postado em 14/07/2020 21:10
 (foto: Adauto Cruz/CB/D.A Press)
(foto: Adauto Cruz/CB/D.A Press)
A 15ª Delegacia de Polícia (Ceilândia) investiga o casoA Polícia Civil do Distrito Federal investiga um caso de ameaça de morte feita a um conselheiro tutelar de Ceilândia durante o trabalho. Segundo o conselheiro ameaçado, Eduardo Rezende, o homem que fez as ameaças é o pai de um bebê encontrado morto em um hotel na início de julho. O casal foi preso em flagrante e liberado no dia seguinte. A outra criança que vivia com a família no quarto de hotel, uma menina de 1 ano e meio, foi levada a um abrigo, o que teria gerado a revolta do suspeito.

De acordo com a ocorrência registrada na 15; Delegacia de Polícia (Ceilândia), na segunda-feira da semana passada (6/7), dois dias depois de ser solto, o homem de 29 anos esteve no 2; Conselho Tutelar e fez ameaças públicas ao conselheiro. Ele teria chegado ao local e procurado pelo conselheiro que encaminhou a menina a um abrigo, após eles serem presos em flagrantes.

Segundo contou o conselheiro ameaçado ao Correio, o suspeito ;disse para a chefe do administrativo que queria saber quando poderia me encontrar tête-à-tête para me ensinar como tirava a criança dos outros". "Isso tudo em tom de ameaça, com um mochila virada para frente e simulando que estava com algo por trás da mesma.;
Dois dias depois, o homem teria ido novamente ao Conselho Tutelar e reforçado as ameaças. ;Na quarta, ele voltou, perguntando por mim novamente, dizendo que já tinha sido preso por várias vezes, e que, dessa vez, seria por um motivo sério. Que por conta do ocorrido ele andava armado, pois estava sendo ameaçado na rua", detalha.
Além de registrar ocorrência sobre a ameaça, Eduardo Rezende expôs o caso nas redes sociais. Ele publicou um vídeo onde narra as ameaças e desabafa sobre as dificuldades do trabalho. O vídeo teve dezenas de compartilhamentos e muitos comentários de apoio e de indignação. Um deles diz: ;quando um conselheiro é ameaçado no exercício de sua função, todo colegiado é ameaçado;. Outro critica: ;os conselheiros deveriam ter todo o apoio do Estado, a começar por uma área adequada para o seu trabalho, bem como segurança;.

A Secretaria de Justiça, responsável pelos Conselhos Tutelares do Distrito Federal, foi procurada para comentar o caso. Em nota, disse que ;o assunto fica a Cargo da Polícia Civil;. A assessoria de comunicação da PCDF disse que o caso está sendo investigado.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação